Conto de Empregada: Comendo o rabo guloso da minha empregada

Comendo o rabo guloso da minha empregada. Eu sou casado a 15 anos, mas mesmo assim nunca deixei de ser mulherengo, minha esposa é doida por mim, já ameaçou me deixar algumas vezes mas acabou deixando passar algumas traições minhas, e com medo de terminar meu casamento eu topei ir com ela para a igreja e me consertar como homem.

Eu passei 1 ano sem trair minha mulher e as coisas estavam muito boas no casamento, até minha esposa resolver trabalhar na loja que minha cunhada abriu e ficar boa parte do dia fora de casa. Como nossos filhos estudavam pela tarde, eu ficava boa parte desse período do dia sozinho e como não sabia cozinhar nem porra de nada, ela contratou uma empregada pra cuidar da casa até ela voltar.

O nome da moça era Isadora, tinha uns 21 anos e já tinha trabalhado como babá pra poder bancar os estudos. Ela era uma mulata gostosa de olhos cor de mel, posso dizer que ela lembra muito aquela cantora Rihana, só que muito mais gostosa, baixinha e cheia de curvas, sem falar na sua bundinha perfeita toda empinadinha.

Quando chegava aqui em casa ela sempre trocava de roupa, vestia uma blusa folgadona e uma legging que marcada sua boceta gordinha e sua bunda gostosa. Eu ficava tentando me controlar mas várias vezes já toquei uma punheta pensando naquela mulata gostosa sentando na minha pica, mas se minha mulher descobrisse a merda tava feita, mesmo assim só pensei com a cabeça de baixo e não resisti.

Eu comecei a perguntar da vida dela, descobri que era solteira, dividia o apartamento com mais 3 amiga e que fazia faculdade de educação física, não é atoa que ela tinha um baita corpo perfeito. Eu com o tempo fui ficando mais próximo dela, dava em cima dela na cara dura e ela com o tempo foi me dando corda.

Um dia minha mulher saiu, eu fui tomar um banho e propositalmente chamei ela pra pegar um sabonete pra mim no armário da cozinha. Quando ela veio fiz questão de mostrar meu pau duro pra ela. Ela ficou espantada, me deu o sabonete, sorriu, me chamou de safado e disse que se minha mulher visse isso ia ficar brava.

Não aguentei e rocei naquela bunda gostosa

Eu sai sem toalha e fui roçando meu pau nela, esfregando naquela legging apertadinha, até ficar mais duro ainda. Ela ficou doida, andava enquanto eu me agarrava nela mas deu uma empinadinha bem safada pra mim e começou a se roçar. Eu deixei a calça dela toda melada de tanto tesão e quando passei a mão ela tava bem molhadinha também.

Ela ficou dizendo que a gente não podia fazer isso, mas eu não aguentei e fui atrás dela com o corpo pegando fogo de tesão, levantei a blusa dela e comecei a tocar naqueles seios deliciosos que eram pequenos mas uma delícia, bem durinhos e com os bicos salientes. Ela se arrepiou toda com meu toque, respirava forte, gemia baixinho.

Eu não me aguentei e tirei o resto da roupa e deixei ela só de lingerie. Me ajoelhei e cai de boca, chupei ela assim mesmo por cima da calcinha. Ela rebolava na minha boca, pedia pra eu comer ela até que ela mesma não aguentou, tirou a calcinha e botou aquele grelinho gostoso na minha boca pra eu sugar.

Fiquei ali um tempão chupando seu grelinho gostoso até que não aguentei e pedi pra ela me chupar, então deitei na cama, ela ficou por cima e fizemos um meia nove gostoso, ela abocanhando meu cacete e babando em cima dele.Eu fiquei doido de tesão, a buceta dela tava cada vez mais molhada, eu não me aguentei de tesão e tive que me segurar pra não gozar na boca dela rápido.

Parei, mudei de posição e coloquei ela de quatro. Peguei uma camisinha, encapei meu pau e mandei ver na buceta daquela mulata gostosa. Ela gemia, ficava louca, me chamava de safado e dizia que minha pica era uma delícia, que tava batendo bem fundo na bucetinha dela e pedia pra eu enfiar tudo. Ela era muito quente na cama, ela rebolava no meu pai e enquanto socava na buceta dela eu fiquei de olho naquele cuzinho gostoso. Era bem apertadinho, tava todo lisinho e eu fiquei doido pra comer.
rabo guloso
Comecei a roçar minha pica na entradinha do seu cu mas ela disse que não porque cu era conquista. Eu disse que ela ia me dar e ainda ia gostar, ficar querendo mais. Eu então continuei sarrando no rabinho dela, depois fui empurrando pra ver se entrava, mas tava difícil por ela ser apertadinha. Passei a mão na buceta dela, deixei minha mão bem molhada com a lubrificação dela e passei no seu cu.

Comecei a encaixar o pau até o cu dela engolir tudo.Ela gemeu feito louca e falava um monte de putaria enquanto eu comia seu cu. Foi uma sensação única, o cu dela é muito apertadinho, uma delícia, não demorou muito e dei uma gozada gostosa no rabinho dela. Deixei o maior rombo naquela bunda tesuda e deixei ela bem cansadinha de tanto que a gente trepou.

Ela até hoje trabalha aqui em casa e minha mulher nem desconfia de quantas vezes já trepei com a Isa, não consigo me controlar quando vejo essa gostosa usando suas leggings apertadinhas marcando o rabo.

Categorias:

Contos Empregada

Comments are closed.