Conto Traição: Comi minha chefe na festa da empresa

Comendo minha chefe na festa da empresa. Me chamo Marcelo, tenho 25 anos, trabalho em uma construtora. A dona é a Kátia, ela é uma mulher madura de uns 40 anos, casada e mãe de dois filhos. Ela é loira, tem olhos cor de mel, um corpo bem cuidado e ela nem aparenta a idade que tem.

Eu e os caras da empresa sempre ficamos olhando ela e comentando o quanto ela é gostosa. O marido dela tem a maior cara de brocha, é pau mandado dela. Bom, eu trabalho na gerência da empresa, bem ao lado da sala dela, por isso sempre vivi em contato com minha chefe, que me tratava super bem, me elogiava muito e vivia me pedindo favores.

Eu sempre fui louco para comer essa coroa, mas eu nunca tentaria nada, afinal isso custaria meu emprego, mas acabei me enganando com esse pensamento. Tudo começou no dia em que rolou uma festa lá no trabalho. Era final de ano, algumas semanas antes do natal e lá mesmo na empresa fizemos uma confraternização.

O marido da minha chefe não foi, pois estava viajando, então ela foi sozinha e quase todos os funcionários compareceram. Rolou uma feijoada com música ao vivo, tudo bem animado. Logo vi minha chefinha enchendo a cara pra cacete.

Ela veio por trás, me deu um abraço, elogiou e agradeceu meu desempenho na empresa, passou a mão de leve no meu ombro e foi descendo até meu braço. Nessa hora senti que ela tava soltinha e tava querendo também.

Uma hora ela sumiu, mas ninguém deu muita importância porque era normal dela, então todos continuaram bebendo, curtindo e eu que tinha ido ao banheiro aproveitei para ir atrás ver onde minha chefe tava. Encontrei ela na sala dela falando ao celular, e quando eu fui me virar para ir embora ela sinalizou com a mão para eu ficar. Eu confesso que gelei um pouco…

Fui na sala dela e acabou rolando…

Eu esperei ela desligar, ela perguntou se queria algo, eu disse que o pessoal tava procurando por ela, claro que usei dessa desculpa só pra ver ela. Ela mandou eu trancar a porta e pediu para eu sentar. Assim que sentei ela ficou em pé. Começou a falar novamente do meu desempenho e bla bla bla, aí veio por trás de mim, passou a mão nos meus ombros massageando.

Tive que me segurar para não ficar de pau duro na hora. Fiquei com muito tesão, ela me deixava louco. A minha chefe continuou falando e me massageando e não deu mais. Fiquei de pau duro na hora. Ela percebeu, deu um sorrisinho safado e irônico, me deixando louco. Ela então sem cerimônias passou a mão no meu pau por cima da calça. Fazendo um carinho safado e apertando minha pica.

Eu fiquei com o maior tesão, essa mulher me deixava louco, mas eu não me atrevia a fazer nada ainda, deixei que ela comandasse. Ela abriu meu ziper e quando meu pau duro saiu pra fora, ela comentou: -Que delícia!

A safada caiu de boca, chupou minha pica e como ela mamava gostoso viu? Ela tava desesperada, parecia que ela não via uma pica a muito tempo. Ela me chupava com tanta vontade que as vezes chegava a machucar, mas era uma delícia a boca da minha patroa no meu cacete. Eu fiquei doido, comecei a empurrar a cabeça dela na direção do meu pau.

Ela chupava gostoso demais, me deixou louco de tesão, eu tava a ponto de gozar na boca dela e de repente a safada parou, abaixou sua saia, levantou a perna e disse que queria que eu chupasse ela também. Cai de boca, enfiei a língua na buceta gostosa da minha chefe, ela ficou rebolando na minha boca, me deixou surpreso com seu lado safado.

Eu sentia ela toda molhadinha deixando minha língua encharcada com sua lubrificação. Chupei um tempão até ela gozar na minha boca. A essa altura do campeonato, meu pau tava latejando de vontade de meter na buceta dela, mas me segurei porque queria dar muito prazer para essa safada.

Ela gozou gostoso e ficou toda sorridente e relaxada. Sentou no meu colo e começou a me beijar gostoso. Ela me beijava com muita vontade, enfiava a língua fundo na minha boca enquanto eu passava a mão nela toda, na sua bunda gostosa, nos seus peitos e fazia ela roçar a buceta ainda molhada no meu pau.

Eu tava adorando esse contato, fiquei com um tesão muito maior e já fui colocando a camisinha para experimentar aquela buceta enquanto a gente tinha tempo. Ela tava com o corpo pegando fogo de tesão, gemia baixinho no meu ouvido, mordia minha orelha, me chamava de safado e eu tava doido pra meter.

Afastei as pernas dela ainda sentada no meu colo, levantei ela um pouco e meu pau entrou inteiro de uma vez só de tão molhadinha que ela tava. Eu comecei a segurar ela pela cintura para movimentar gostoso em cima do meu pau, mas ela rebolava gostoso sem precisar de mim. Ela gemia, dizia que minha rola era a mais gostosa que tinha metido nela e enquanto eu comia a safada ela me ameaçava dizendo que se eu contasse pra alguém eu ia ser demitido.

Ela pulava no meu cacete igual em um filme pornô, rebolava, gemia e tocava uma siririca enquanto eu metia. Não aguentei e mandei ela levantar, coloquei ela empinadinha na mesa e comecei a passar a mão do seu cu até sua buceta. Tava tudo escorregando de tão excitada que a minha chefe tava.
chefe
Logo eu fui metendo nela por trás e fazia o maior barulho dos nossos corpos em atrito. Ela gemia mandava eu puxar o cabelo dela e chegava a suar mesmo com o ar condicionado ligado, além de gemer alto e ter que me fazer calar sua boca com uma mão pra não dar bandeira.

Eu fiquei ali vendo a bunda dela toda vermelha de tanto eu apertar e senti ela rebolando e se contorcendo toda. Até que eu não aguentei e dei uma gozada do caralho. Foi muita porra que essa mulher fez jorrar do meu pau.

Depois dessa foda ela entrou no banheiro da sala dela pra se recompor, me deu um beijo e disse que foi uma delícia. Eu voltei primeiro para a festa e uma meia hora depois ela apareceu, muito gostosa. Fiquei a festa toda lembrando da putaria que tinha rolado, mas no dia seguinte minha chefe gostosa me tratou formal. Mal posso esperar pela próxima festa pra ela ficar soltinha e me dar gostoso.

Categorias:

Contos de Traição

Comments are closed.