Conto de Incesto: Minha irmã adotiva é uma putinha

Minha irmã adotiva é uma putinha. Me chamo Gustavo, tenho 21 anos e tenho uma irmã de 18 que é adotiva e recentemente rolou algo que me deixou até agora pensando sem parar nisso tudo e com um tesão da porra.

Minha irmã Camila, é adotiva, uma morena de cabelos lisos até a cintura, peitinho gostoso e uma bundinha redonda. Eu tenho muito tesão nela, é o motivo das minhas punhetas diárias, e finalmente acabei comendo ela sem esperar. Nossos pais viajam muito porque trabalham como representantes de uma empresa, então sempre ficamos sozinhos em casa.

Um dia tava vendo futebol na TV, ouvi um barulho até alto de música no quarto dela, então imaginei que minha irmã tinha colocado música para ouvir e já teria até dormido aquela hora, passava da meia noite já.

Eu que sempre fui brincalhão com ela, resolvi dar um susto, sabia que o quarto dela vivia trancado, fui até a cozinha, peguei o chaveiro com as chaves extra da casa, abri a porta devagar e quando fui dar um susto nela, peguei minha irmã nua na cama, com as pernas abertas tocando uma siririca. Eu fiquei gelado na hora, ela me olhou sem graça, gritou e jogou o travesseiro em cima de mim. Desci num misto de vergonha e tesão, e além de tudo, impressionado de ver como minha maninha é safada.

Ela foi até meu quarto, bateu na porta e pediu por tudo que eu não contasse para os nossos pais nem para ninguém, que ela tava morrendo de vergonha e tal. Eu resolvi entrar na brincadeira e tirar vantagem. Comentei que se ela queria matar a vontade, porque não me chamar. Ela me olhou sem acreditar mas perguntou se ela fizesse o que eu quisesse, eu guardaria segredo.

Eu respondi e ela disse que no dia seguinte conversaria comigo. Acordei ansioso, puta que pariu, nunca imaginei que fosse rolar algo, mas pelo que ela disse, rolaria e eu tava muito afim. Ela voltou da faculdade a noite, tomou um banho e foi até meu quarto bem cheirosinha usando um baby doll.

A safada veio bem sexy para o meu quarto

Ela perguntou se eu tava dormindo, respondi que não, ela se deitou ao meu lado na cama e começamos a conversar besteira, mas eu não aguentei, ela tava muito cheirosa mesmo. Peguei ela de jeito, puxei pra cima de mim, eu tava só de cueca boxer, tasquei um beijo nela, enfiando minha língua toda na sua boca e ouvindo sua respiração ficar pesada e ela soltar um gemidinho de putinha que me deixou doido.

Eu sentia meu pau encostando na bucetinha dela e fiquei duro feito pedra. Continuei beijando, ela ficou sentada em cima de mim, tirou o baby doll e vi seus peitinhos gostosos bem empinadinhos. A única coisa que pensei foi em chupar e mamei gostoso em cada um enquanto apertava forte e ouvia ela gemer bem baixinho.

Botei meu pau pra fora, ela me ajudou a tirar a cueca e já veio me chupando sem eu precisar pedir. Ela lambeu a cabecinha, passava a língua pelo buraquinho, abocanhava tudo e ia chupando até o talo. Eu tava louco empurrando a cabeça dela pra essa putinha engolir com força.
– Humm, caralho Camila, que boquinha gostosa você tem, quero foder ela todinha com meu pau.

Eu falava sacanagem e ela chupava mais gostoso ainda, me provocando, me deixando doido. A safada do nada parou de chupar e disse que ela também queria. Lá fui eu tirando a calcinha dela, me deparando com uma bucetinha bem lisinha, rosadinha com um grelinho saliente. Uma delícia de buceta, me acabei de tanto meter a língua e sentir o melzinho dela escorrendo pela minha boca, me deixando todo lambuzado.
putinha
Ela rebolava na minha boca, gemia, empurrava minha cabeça e dizia pra não parar.
– Ai, caralho, chupa minha buceta, não para seu safado.
E assim dei um trato gostoso nela com minha línguinha na safada gostosa, mas eu não tava aguentando mais, queria meter e depois de botar ela pra gozar na minha boca, fui subindo apressado com meu pau duro e encaixei todinho nela de vez, sem delicadeza.

Ela soltou um grito e me deu um tapa no ombro falando pra eu ir devagar, mas eu não tava aguentando, era muito tesão, bombei com força, fiz ela rebolar embaixo de mim junto com minhas metidas. Eu ainda dei mais uma dez bombadas nela, a piranha arranhando minhas costas com força e pedindo com uma voz safada pra eu foder sua buceta bem gostoso me fez gozar logo.

Gozei gostoso, enchi a bucetinha da minha maninha de porra e fiquei com tesão vendo minha porra escorrer e ela ficar passando nos dedos. Nessa noite peguei ela de quatro e meti nela nessa posição, atolando meu cacete até bater no útero dela e a puta pedir arrego. Foi uma noite gostosa e até hoje é o nosso segredinho.

Categorias:

Incesto