Esposa Traindo: Fazendo Reparo na Morena Gostosa

Sou uma morena gostosa e vou contar como apimentei meu casamento. Hoje pela manhã, liguei pro Sr. Otavio, um senhor de meia idade que presta serviços de reparo aqui no prédio e pedi sua visita. Tinha alguns pequenos consertos a serem feitos no apartamento. Ele avisou que não poderia vir, mas, que enviaria Paulo, um aprendiz, que daria um jeito em tudo. Meio desapontada, aceitei e fiquei esperando pelo rapaz. Uma hora depois, o porteiro avisa de sua chegada. “Queria que também fosse rápido assim, pra arrumar tudo! Ainda queria passear à tarde!” pensei…

Quando abri a porta, na minha frente, está um rapaz branco, alto, 20 anos, bem vestido e com uma carinha de tímido que me abriu o apetite!
Mostrei logo o que eu queria que fosse ajustado e fui pro quarto, já arquitetando a armadilha. Coloquei uma camisola vermelha, com abertura na frente e sem calcinha e fiquei esperando. Quando o Paulo me chamou, fui pra cozinha com a maior cara lisa. Ele ficou paralisado quando me viu…

– O que foi, Paulo? Estava calor e resolvi colocar algo mais fresco..
– Des-des-desculpa, dona… J-j-já vou sair…!
– Espera, Paulo! Não quer um suco? Ajuda a refrescar…

Fiquei de costas e dei aquela empinada, pra que ele pudesse ver todo o produto.. O clima era puro tesão!! Coloquei o suco no copo e quando entreguei a ele, toquei em sua mão. Aquele era o meu sinal verde e fui entendida… Ele colocou o copo sobre a mesa e passou as mãos pela minha cintura, me puxando pra perto dele e beijando minha boca com vontade. Senti minha xota ficar ensopada na hora.. Ele me ergueu e me fez sentar na pia da cozinha, sem parar de me beijar. Suas mãos já percorriam todo o meu corpo, apertando minhas coxas e puxando a alça da camisola. Quando meus peitos pularam pra fora, ele não teve dúvidas. Abandonou minha boca e sugou com vontade cada um dos meus mamilos. Enquanto mamava num, apertava o bico do outro, me arrancando suspiros.

Fazendo reparo na morena gostosa

Morena gostosa pronta pra chupar!

– Paulo, você sabe como mamar e beijar, hein? Quero saber se sabe chupar bem…

Ele não se fez de rogado. Desceu beijando minha barriga, abrindo minhas pernas e de uma só vez, enfiou a língua na minha buceta quente, molhada, me arrancando um suspiro!!
Ele passava a língua, alternando entre lambidas rasas e profundas, leves e com mais pressão, me deixando louca!! Enquanto uma mão puxava meus cabelos, a outra já estava no meio das minhas pernas… O filho da mãe enfiou seus dedos na minha gruta tão fundo e com tanta vontade, que gozei quase na mesma hora!! Sentindo meu corpo estremecer, ele voltou a me beijar. Era a minha deixa. Abri o zíper da calça dele e pude sentir o quanto seria feliz! Tão grande e grosso. Tão duro e viril.. Ah, a idade dele era um presente pra mim. Não me fiz de rogada, desci da pia, me ajoelhei na frente dele e abocanhei aquele membro com tanto desejo!! Chupava a cabeça dele, lambia o pau de cima abaixo e ainda me lambuzava com suas bolas…

– Ele é muito grosso… Não tenho como engolir..
– Ele é do tamanho que a senhora merece… Engole, aproveita, faz a festa, sua puta!!

Aquele palavrão era o que faltava!! Deixei o cacete dele bem melado, abri minha boca e tentei engolir aquele mastro.. Ele começou a bombar devagar.. Estava fudendo minha boca, aquele moleque!! Deixei. Era isso o que eu também queria. A tara era tão grande que ele não demorou e anunciou o gozo.

– Sua vagabunda da boca gostosa!! Vou gozar!! Engole minha porra, sua piranha!!

Senti o primeiro jato. Foi fundo na garganta.. Quanto mais eu engolia, mais porra saia daquele cacete. Quando me levantei, e mostrei pra ele o pau limpinho, ele voltou a mamar meus peitinhos.. Não demorou nadinha e aquele moleque já estava pronto pro segundo round e pra minha vitória! Fomos pro quarto. Ele me colocou de quatro na cama. Tinha uma visão privilegiada da minha xana. Lambeu e ainda enfiou os dedos, acho que só pra constatar o quanto eu ainda estava molhada. Ficou de joelhos atrás de mim e perguntou:

– A senhora vai querer o serviço completo?
– Quero, Paulo!! Me come, me fode, me arromba agora, seu filho da puta!!

De uma vez, ele socou até o talo aquele caralho em mim. Vi estrelas brilhando! Depois, começou a meter bem devagar, como se querendo aproveitar cada centímetro de mim. Enfiava fundo e depois, mexia lá dentro, fazendo pressão. Aquilo estava me deixando louca!! Comecei a rebolar, gemia alto, pedia mais.. Ele começou a bombar mais rápido, dava estocadas tão fortes que me faziam perder o equilíbrio. Senti que ele já não ia mais segurar por muito tempo e me entreguei ao êxtase mais uma vez. Ele começou a urrar, me puxava pela cintura cada vez mais forte, cada vez ais rápido e fundo. Senti mais uma vez, a porra dele me inundando… Dessa vez, enchendo minha buceta do leitinho dele. Caímos na cama, exaustos! Eu já nem conseguia controlar a minha respiração e ele, estava de olhos vidrados!

– Paulo, está tudo bem?

Ele me deu um longo beijo e me abraçou.Ficamos alguns minutos assim, calados, curtindo o nosso momento. Depois, fui no banheiro e ele, de forma muito discreta, me arrumou e saiu do apartamento. Depois de um tempo, liguei pro Sr. Otavio pra perguntar quanto estava devendo pelo serviço. Ele disse, meio confuso:

– Nada! Paulo disse que o serviço era só o de apertar algumas porcas e parafusos e desentupir a torneira da pia. Uma bobagem dessa a gente não cobra, né?

Desliguei satisfeita. Minha porca havia sido bem ajustada ao parafuso dele e ainda tive a garganta desentupida depois de engolir tanta gala…

“Boa, moleque!! Quem trabalha bem, trabalha mais vezes…!” fiquei rindo com meus pensamentos…

E agora?

Enquanto meu marido não volta, procuro novos reparos ou ligo pra pizzaria que tem aquele entregador delicioso?

Decidam por mim…

Leave a Reply

Your email address will not be published.