Contos de Coroas: Traçando minha madrasta safada quando meu pai viajou

Traçando a minha madrasta safada quando meu pai viajou. Eu me chamo Lucas, tenho 22 anos, sou bastante viciado em uma mulher mais velha, talvez seja porque não convivi com minha mãe, mas isso não vem ao caso, o que importa é que mesmo curtindo uma milf, sempre namorei com as novinhas por medo do que meus amigos e parentes falariam, sempre fui otário e liguei para a opinião dos outros.

O meu pai é engenheiro, ele viaja bastante porque trabalha numa construtora regional e faz serviços para vários estados daqui perto e eu passava muito tempo com a nova esposa dele, uma coroa loira bem gostosa, peituda e toda cheia de curvas, parecendo aquelas modelos plus size. Ela se chama Mara e sempre se deu bem comigo, nunca notei nada estranho até o dia em que sem querer ela me viu pelado com o pau duro, tinha acabado de acordar e ia para o banho quando ela entrou sem bater pra me chamar para o café da manhã.

A Mara tomou um susto quando viu meu pau, ficou vermelha, nervosa, gaguejou, deu mais uma olhadinha e saiu. Eu tava doida, nessa hora senti muito tesão e tive que me masturbar imaginando como seria comer essa coroa tesuda. O comportamento dela começou a mudar comigo, ela passou a ser mais carinhosa do que já era me abraçava o tempo todo. Um dia ouvi ela fodendo com meu pai, fiquei doido, ela geme gostoso demais, ficava pensando aquele gemido gostoso no meu ouvido, sem falar que ela falava muita sacanagem na cama. Deu pra ouvir ela dizendo que ele metia gostoso, que queria que ele arrombasse a boceta dela, pra meter no cuzinho. Por isso meu pai ficou louco por ela.

Meu pai viajou e eu aproveitei pra comer a safada

Uns 6 meses depois ele viajou para Maceió, ia vistoriar de pertinho uma obra, e eu fiquei sozinho com a Mara, ela bem safada, ficava de shortinho curto pela casa, garantindo boas punhetas pra mim e como ela tem um rabão, ficava mais sexy ainda. Um dia ela foi pra piscina com as amigas, voltou meio biritada de biquíni e pude ver aquela boceta deliciosa marcando na frente. Uma delícia e fui me masturbar.

Eu já tava sem aguentar, ela me seduzia, me olhava safada e um dia sem aguentar fui pra rua beber, quando voltei agarrei ela, dei um beijo naquela boca gostosa e deixei ela sem ação. Ela me afastou, fiquei com vergonha pensando que agora estaria fodido se ela contasse para o meu pai. Fui pra o meu quarto, meu pau até murchou, nessa hora, fiquei deitado e uns 40 minutos depois ela entrou, meio nervosa, perguntou o que foi aquilo, já tava na merda mesmo então fui direto e disse que tinha muito tesão por ela e não aguentava mais.

Ela sentou ao meu lado da cama, perguntou se eu contaria para algum amigo e eu disse que não, então ela veio, me deu um beijo gostoso, sua língua é um tesão, do jeitinho que eu adoro e nosso beijo encaixou direitinho. Meu pau acordou na hora, passei a mão na boceta dela e tava bem molhadinha, que sensação boa do caralho, pude sentir que o grelo dela não era pequeno e tava bem durinho, sem falar que ela era toda depiladinha.

Começamos a nos masturbar, ela fazendo em mim e eu nela, enquanto trocávamos beijos molhados e ela gemia e se contorcia com meus dedos na sua xota. Eu tava doido pra sentir como seria meu pau dentro dela e pra não gozar só com aquela punheta eu parei, subi em cima dela tirando suas roupas e deixei aquele par de peitos enormes escaparem, fiquei doidão, chupei os bicos, mamei gostoso, eram tão enormes que mal cabiam na minha boca.

Ela botou minha pica pra fora, pagou o melhor boquete da minha vida, deixou minha pica toda babada, eu tava louco de tesão, ela lambia meu saco, deixou todo lambuzado e fiquei doidão, eu sem aguentar mais peguei ela, coloquei de pernas abertas e fui enfiar minha língua na boceta dela, deixando a safada molhada, quente rebolando ma minha boca e puxando meus cabelos. Ela dizia pra eu enfiar mais a língua, que queria sentir no fundo da boceta dela, dizia que eu chupava muito gostoso, que ela ia gozar na minha boca, agora imagina meu pau nessa hora como estava a ponto de explodir.

Não aguentei muito, pedi pra ela abrir bem as pernas pra eu sentir sua vagina molhada, ela se abriu todinha na hora, fui colocando meu pau e ela era até apertadinha, mas tava tão molhada que entrou fácil, comecei a me mexer em cima dela, ela rebolava embaixo de mim toda safada e vi aquele bocetão gostoso do caralho esmagando meu pau, e enquanto metia fui tocando uma siririca pra ela, brinquei muito com o seu grelo gostoso enquanto socava e isso deixou ela mais doidinha, ela colocava a mão na própria boca pra abafar os gemidos altos e falava que eu metia muito gostoso.

Pedi pra ela ficar de quatro, ela tem um bucetão do caralho, comecei meter, apertar aquele rabo, ela dizia que eu tava arrombando ela inteira que ia ficar sem sentar mas tava adorando aquilo tudo. Ela me chamava de puto, de cachorro, falava pra eu meter nela, rebolava o rabo na minha vara, depois pediu pra eu comer o cu dela. Eu nunca tinha pego uma mulher que me pediu pra comer seu cuzinho, a maioria era muito fresca e fazia o maior doce pra dar.
madrasta safada
Bombei no cu gostoso daquela safada coroa, ela me deu uma surra de cu que deixou meu pau todo esfolado, parecia que eu tava metendo na boceta de tanto que ela quicava sem reclamar de dor, mesmo meu pau sendo grosso. Foi um tesão, pedi pra gozar no cuzinho e ela deixou, logo meu pau esporrou tanta gala, que o rabo dela ficou piscando e soltando todo meu leite, que escorria pelas pernas dela.

Foi a melhor foda da minha vida, meu pau e ninguém desconfiam disso por isso até hoje quando ele viaja, minha madrasta vira minha puta e a gente fode o dia inteiro sempre.

Categorias:

Coroa

Comments are closed.