Conto de Virgens: Fodendo minha cunhadinha ninfeta

Tirei o cabaço da filha do vizinho
Me chamo Dudu, o conto que mando para vocês, aconteceu em 2017, depois de uma festa. Tenho um vizinho bem filho da puta, moralista e fofoqueiro, que tem uma filha linda, loirinha, branquinha, bundinha gostosa, seios médios com os biquinhos lindos e um sorriso perfeito.

Todo mundo aqui da rua sempre quis comer a gatinha, principalmente sabendo que ela ainda era virgem, aí os caras ficavam igual urubus rondando ela. O nome da garota é Rachel, ela tinha 18 anos nessa época e quando saia com as amigas, o pai dela fazia marcação, então a coitada nem tinha namorado até então.

Ela começou a vir aqui em casa pra falar com minha irmã, já que as duas frequentam a mesma igreja, e papo vai, papo vem, comecei a jogar a conversinha nela e logo a gatinha tava doida por mim, mas nada de liberar a bucetinha com medo do pai descobrir.

Eu já tava cansado desse jogo, a gente tava namorando escondido a uns 3 meses e nada de rolar, ela sempre fugia, então eu disse que não ia querer mais nada, porque já tava foda aguentar o tesão por ela. A danada adorava me provocar, ela vinha aqui em casa com cada shortinho, que me deixava doido, me acabando na punheta.

Ela resolveu se soltar e mostrar que era putinha

Ela me achando frio, resolveu ser mais aberta comigo, um dia a safada aproveitou que todo mundo aqui em casa tinha saído, chegou aqui com uma maquiagem pesada, batom vermelho, uma cara de putinha que me deixou doido.

Ela não falou nada, só fez sinal pra eu ficar calado, se aproximou me beijando gostoso e segurou no meu cacete por cima da bermuda e começou a fazer movimentos que deixaram meu pau duraço.

Ela tirou minha pica pra fora e pagou um boquete bem gostoso, nem parecia que a safadinha era virgem, me chupou gostoso, sabia direitinho como fazer. Lambia, depois chupava, apertava meu saco. Caralho, que tesão que eu fiquei.

Eu não queria gozar rápido, mas não deu pra segurar, acabei gozando na boca dela e como ela ficou com cara de sem saber o que fazer, mandei ela engolir tudinho. Ela engoliu minha porra todinha e ainda ficou lambendo os lábios. Muito putinha!

Eu então abri as perninhas dela, mas antes tirei o short e a calcinha de vez, passei meus dedos e senti ela bem molhada. Lambi meus dedos pra sentir o gostinho dela e achei essa bucetinha deliciosa.

Me lambuzei inteiro chupando a gostosa. A bucetinha dela é toda lisinha, linda e quando abri vi bem rosadinha, deu vontade de morder essa xaninha linda toda raspadinha e cheirosa. Enquanto eu chupava ela mordia as mãos pra abafar seus gemidos gostosos, igual de putinha de filme pornô.

Ouvindo esses gemidos, meu pau deu sinal de vida novamente, não aguentei e comecei a tocar uma punhetinha pra endurecer mais enquanto chupava ela. Assim que minha vara ficou dura, coloquei meus dedos no seu grelinho pra deixar ela mais molhada ainda, prontinha pra me receber.

Eu tentei me segurar, mas ela é bem gostosa, arreganhei mais as pernas dela, segurando pelas coxas e introduzi meu cacete lentamente. Ela reclamou um pouco de dor, mas eu não queria parar e nem ela.

Fui encaixando e quando meu pau entrou todo, ela me segurou e mandou eu deixar dentro um pouquinho. Deixei, fiquei parado beijando ela, lambendo seus seios rosadinhos, deixando ela bem a vontade, até que eu avisei que ia começar a me mexer.
vizinho
Comecei um vaivén gostoso, lento, sentindo a buceta quentinha da safada apertar meu cacete com muita força, me dando mais tesão ainda. Bombei devagar, não parei de chupar seus peitos, mordi sua orelha, seu pescoço e falei sacanagens no ouvido da putinha. Ela arranhou minhas costas, falou que tava ardendo e eu garanti que logo ficaria bem gostoso, então comecei a aumentar o ritmo das metidas.

Fui aumentando cada vez mais e logo eu tava suando em cima dela e ouvindo seus gemidos gostosos cada vez mais altos, ela era bem safada mesmo, começou a se mexer embaixo de mim, rebolando seu corpinho no meu pau.

-Ai que delícia! sua buceta é tão apertada, tá engolindo minha pica todinha. Quero gozar gostoso dentro de você, sua putinha safada!
Disse isso e meti mais forte, dei mais uma 7 estocadas dentro da sua buceta, não aguentei e gozei, um jato de porra quente, todinha dentro daquela gostosa.

Quando tirei meu pau vi um pouco de sangue e sua bucetinha piscando por mim com minha gala escorrendo dela e ela reclamando que tava toda assada, mas logo depois ela quis mais uma sessão de putaria comigo e depois disso o pai dela teve que ficar mansinho quando descobriu que eu tinha comido a filhinha dele.

Categorias:

Contos de Virgens