Tirei a virgindade da irmãzinha da igreja

7 votes

Olá, meu nome é Victor (*), sou casado, tenho filhos, já escrevi aqui outro conto, tenho muita história pra contar, já aprontei um bocado nessa vida.

Como disse em outra oportunidade, venho de uma família evangélica, sou evangélico de berço, desde que nasci, no meu tempo de solteiro, sempre fazia parte do grupo de jovens da igreja, sempre estávamos juntos, festinhas, viagem, sorveteria, lanchonete e etc, foi aí que conheci a Suely (*),  ela é o tipo mulherão da porra, cavala, peitos grandes, bunda grande, estatura média, coxas grossas, o pessoal da igreja, ficava louca por ela, eu não era exceção.

Vira e mexe, sempre ouvia alguma novidade a respeito dela, ficou com fulano, fez isso, fez aquilo, como em igreja, isso é normal, nem dava muita bola para isso, cada história que a galera contava, a maioria daquelas bem picantes, os garotos falavam que ela, era boa de boquete, mais que na hora h, na hora dos finalmente, ela sempre metia o pé, no máximo amassos, beijo, com sorte ganhava um boquete, e mais nada, eu ficava com a pulga atrás da orelha, com essas histórias, mais nunca pude saber a verdade, ela sempre estava com nosso grupo, porém não tinha entimidade com ela, a gente brincava, zoava um ao outro, mais nada além disso.

Certo dia fomos a sorveteria, tava a galera toda da igreja, naquele dia, resolvi ir embora mais cedo, ela pediu para ir comigo, achei estranho, a gente nem morava no mesmo canto, eu ia para um lado, ela para o outro, nessa noite, conversamos bastante, deixei ela em casa, mesmo não sendo caminho, e de lá começou uma amizade, a gente se falava sempre, ou por computador, na época por SMS, no celular, mais sempre se falava, uma amizade como outra qualquer.

Com o passar do tempo, a gente foi ficando íntimo, ela passou a me contar suas aventuras, o que fazia, o que deixava de fazer, com riqueza de detalhes, eu não demostrava, mais ficava louco, várias vezes pensando no que ela me falava, me acabava na punheta, estava solteiro, carente, sem namorada, não dava outra. A intimidade nossa só aumentava, até que um dia ela me fez uma pergunta.

– você é Gay?

Eu disse que não, e perguntei o porquê da pergunta, ela me respondeu:

– Eu te conto tudo isso, e você leva em uma boa, se fosse outros garotos, já estava dando em cima de mim.

Respondi que respeitava ela, e lidava bem, com o que ela me contava, mó mentira, ficava louco de tesão, com aquelas histórias, e com ela também, principalmente com ela, as vezes era difícil, pensar com as duas cabeças, a de baixo acabava vencendo, ela usava decote, saia curta, me deixava louco, quando não punha blusa sem sutiã, ou short colado sem calcinha, marcando a buceta, eu fica louco, mais fingia que estava tudo bem.

O tempo passou, e a gente cada vez mais “amigos”, ela começou a querer me provocar, só pra me ver eu sem graça, falava besteira, ficava me estingando, e eu sempre saindo fora, eu queria, mais tinha medo de perder a amizade dela, e se fosse só brincadeira? E eu investisse e desse errado, pois bem, em uma sexta feira, depois de sair do trabalho, aluguei um filme, e chamei ela para assistir em casa, ela não quis ir, mais falou que se eu quisesse, podia levar para casa dela, só me perguntou, se eu não me incomodaria, pois ela tinha posto a tv no quarto, junto com o dvd, a gente ia assistir, no quarto dela, disse que não, pensava eu que os pais dela, estariam lá, mal sabia eu, o que me aguardava.
(O filme com a amiguinha)

Assistindo filme com a irmã da igreja

Cheguei Na casa dela, como de costume, abri o portão, e fui entrando, era normal, eu estava lá quase todo dia, a porta da sala estava fechada, bati e ela gritou, que eu podia entrar, quando entrei quase caí de costa, ela estava de toalha, saindo do banho, ela viu que fiquei sem graça, mais mesmo assim, como de costume, me beijou no rosto, e me abraçou, com todo cuidado, para a toalha não cair, já fiquei desconsertado com aquilo.

Aquele dia, eu ia pagar pra ver, por mais que era óbvio, o que ela estava querendo, estava com medo de arriscar, ficou bem claro, que não foi coincidência, logo que ela trocou de roupa, e foi para a sala, ela pois uma roupa, tipo pijama, short minúsculo, e sem sutiã, dava ver os bicos dos peitos dela, querendo pular para fora, foi foda resistir, eu estava resistindo a muito tempo, perguntei pelos pais dela, ela me respondeu, que eles não estavam, tinham ido para uma festa, só os dois, e ela não quis ir, e que iam demorar para voltar, tava pronta a merda, nós dois sozinhos, filme, pipoca, refrigerante, no quarto dela, daquela noite não passava.

Sem mais delongas, fomos assistir o filme, estava impossível não olhar para ela, ficava até difícil concentrar no filme, ficamos deitados na cama, depois que a pipoca acabou, ainda assistindo o tal filme, minha cabeça a mil, vou?, não vou?, até que ela, tomou a iniciativa, eu já estava de pau duro, olhando disfarçado para ela, ela chegou mais perto, e por cima do short, pegou meu pau, sem muita cerimônia, eu fiquei meio assustado, mais não ia fugir da raia, nem a pau aquele dia.

Ela começou a massagear meu pau, mesmo por cima do shorts, tava ficando louco, perguntei para ela, se era isso que ela queria, ela respondeu, só me arrependo, do que eu não faço, enfiou a mão por dentro do short, e começou a me punhetar, que delícia de mão, deixei ela a vontade, mesmo me punhetando, começou a me beijar, tava tenso de aguentar, ela achava que eu era santinho, mais eu sabia bem o que eu estava fazendo.

Tirando a virgindade da irmã evangélica

Pedi para ela parar, e comecei a chupar os peitos dela, grandes, e suculentos, que não cabiam na minha boca, ela ficava louca, e eu mais ainda, entre um beijo e outro, tentava por a mão na bucetinha dela, ela não deixava, só queria que eu chupasse os peitos dela, e beijo na boca, eu insisti, até que ela deixou, o tesão falou mais alto, eu sabia que ela era virgem, por isso não dava para qualquer um, só ficava nos amasso com os garotos, e no máximo um boquete, comigo ia ser diferente, ela brincou com fogo, agora vai se queimar.

Então passei o dedo na buceta dela, com todo carinho, meu dedo saiu todo molhado, fui bem devagar, passando o dedo no grelinho, com toda calma do mundo, se apressar naquele momento podia estragar tudo, fiquei por ali alguns minutos, até que fui tirar o short dela, ela quis segurar meu braço, como se diz, quis mijar pra trás, mais não deu certo, eu venci ela com carinho, fiz que desisti, comecei a beija-la, chupei os seus peitos, e tentei outra vez, ela tava dominada pelo prazer, não esboçou reação dessa vez, só deixou acontecer, quando vi aquela bucetinha linda, toda depilada, ainda virgem, caiu a ficha, mais aí já não tinha mais tempo, para qualquer tipo de arrependimento.

Comecei a chupar ela, com todo carinho do mundo, calmamente, depois um pouco mais forte, sempre com calma, ela fechou os olhos, e se contorcia toda de tesão, segurando minha cabeça, na primeira chupada forte de acordo, ela não aguentou e gozou, segurou minha cabeça com as pernas, e segurou meu cabelo, pqp aquilo, era infernalmente gostoso kkkkk.

Dei um tempo para ela, não forcei nada, como já disse, deixei ela a vontade, mais recuperada, ela começou a chupar o meu pau, que boca quente, que delícia, ela fazia com carinho, me deixando quase louco, vou confessar, que a gente já estava apaixonado, naquela época, por isso a vibe estava tão boa, a gente só Não sabia disso, aquela noite foi o start, ela sabia oque estava fazendo, bem que a galera falou, ela sabia fazer, e fazia muito bem.

Vi que ela parou de me chupar, beijou a minha boca, chegou até meu ouvido e disse:
– tira minha virgindade, confio em você.

Vou confessar que o coração, chega até disparou, não perdi tempo, e comecei a passar a cabecinha do meu pau, bem na portinha da bucetinha dela, passando no grelinho, deixando ela louca, mais dominada ainda pelo tesão, chupei a bucetinha dela outra vez, só que agora bem mais forte, vi que ela gostou, estava tudo perfeito, finalmente meu sonho virou realidade, comecei a penetrar meu pau na bucetinha dela, bem devagar, para não machucar, tudo com muito cuidado, comecei a empurrar, ela não reclamava, só gemia, tive que forçar um pouco, apesar dela estar bem molhadinha, ainda estava um pouco difícil, quando forcei, achei que ela ia reclamar, mais só deu um gemido mais alto, a cabecinha já tinha entrado, fui pondo o resto devagar, até por tudo.

Tirei um pouco, o meu pau estava todo melado de sangue, perguntei a ela, se estava tudo bem, ela só respondeu com um, um,um, tipo continua, ainda devagar, comecei a penetração, a bucetinha dela estava apertada, que delícia, só de lembrar da saudades, fui penetrando devagar, depois um pouco mais rápido, as vezes punha todo o pau na buceta dela, e depois tirava, bem devagar, oque fazia ela soltar uns gemidos altos, comecei a bombar, cada vez mais rápido, até que Não aguentei, tirei meu pau pra fora e gozei na porta da bucetinha dela, tava exausto, tinha dado tudo de mim, para não fazer feio.

Daí para frente, começamos a namorar, foi dois anos e alguma coisa, bem intensos, sexo sempre, a gente fazia de tudo, ela era muito safada, e eu safado e meio, o que a gente combinava no sexo, não combinava nas ideias, e por fim acabamos largando, foi uma pena, foram dois anos inesquecíveis.

Esses dias ela me mandou um whatsapp, falou que estava com saudades, que não achou em outro, o que eu fazia com ela, ela ainda está linda, corpo em dias, a proposta é tentadora, mais agora tô casado, não tô querendo rolo.

Espero que tenham gostado, forte abraço, fui!

(*) Nomes fictícios.

Posts relacionados

Aniversário de Casamento: Festa em família ADS Aniversário de Casamento: Festa em família
No aniversário de casamento, a esposa tem uma bela surpresa para presentear. Ela traz a filha deles para participar da comemoração em família para participar da transa...
Noite na casa de swing Noite na casa de swing
Noite na casa de swing: Parece ser mais uma noite comum de sábado na casa dos Sacanas... Aninha e Carlinhos saem para a gandaia enquanto seus pais ficam vendo televisão. Mas dona Maria...
Leia completo
Fui desvirginado pela minha professora de matemática Fui desvirginado pela minha professora de matemática
Conto de Virgens: Fui desvirginado pela minha professora de matemática Olá, me chamo Ricardo, tenho 27 anos e quando e sempre fui atrasadinho com relação a sexo. Eu frequentava a...
Leia completo
PowerCaps Turbo ADS PowerCaps Turbo
PowerCaps Turbo
Duratrina Gel ADS Duratrina Gel
Duratrina Gel
Vídeos de Sexo Anal e Porno Grátis ADS Vídeos de Sexo Anal e Porno Grátis
Porno com Mulheres dando o cuzinho no melhor do sexo anal grátis com safadas fudendo muito na pica dos seus machos.
Duratrina Gel - amostra gratis ADS Duratrina Gel - amostra gratis
Duratrina Gel - amostra gratis
PowerCaps Turbo - Amostra Gratis ADS PowerCaps Turbo - Amostra Gratis
PowerCaps Turbo - Amostra Gratis
A mãe tarada e o filho nerd ADS A mãe tarada e o filho nerd
A mamãe tarada e o filho nerd, num bom conto erótico em formato de quadrinhos, onde como pode ver, a mamãe não vai liberar a piroca do filho e cair de boca...
HEALTH - Power Caps Turbo ADS HEALTH - Power Caps Turbo
HEALTH - Power Caps Turbo
Minha tia deu mole e eu comi Minha tia deu mole e eu comi
Conto de Incesto: Minha tia deu mole e eu comi Minha tia Sônia se separou do marido abusivo e veio passar uns dias aqui em casa, eu me chamo Max, tenho 19 anos e adoro uma putaria, seja...
Leia completo
Fodendo a mulher do primo durante o Natal Fodendo a mulher do primo durante o Natal
Acabei fodendo a mulher do primo Guilherme, um dos meus primos mais arrogantes e metidos a besta que tenho, o cara é daqueles que nas reuniões de família enche a cara e depois fica dando...
Leia completo
Minha cunhada safada de 18 anos Minha cunhada safada de 18 anos
Conto de Traição: Minha cunhada safada de 18 anos Me chamo Juca, tenho 30 anos e sou casado com a Sandrinha, uma mulata gostosa da mesma idade que eu, um corpo escultural e um furacão...
Leia completo
Dividindo minha puta com meu irmão Dividindo minha puta com meu irmão
Minha puta e meu irmão na maior putaria Sou o Guto, acabei dividindo minha puta namorada com meu irmão safado. Eu e o Biel sempre fomos bem unidos, a gente sempre foi de curtir balada e...
Leia completo
Meu namorado e o primo dele Meu namorado e o primo dele
Meu namorado e o primo dele acabaram me comendo e foi uma experiência muito gostosa que me deixou com vontade de fazer novamente. Vou contar como tudo começou. Me chamo Nayara, tenho 28...
Leia completo
Transei com a minha prima mais velha Transei com a minha prima mais velha
Olá meu nome é Saulo*, tenho 30 anos, 1,90 de altura, pele clara, sou bem musculoso, cabelos curtos e pretos e um dote de 20 cm. O conto que vou contar hoje aconteceu quando eu tinha 23...
Leia completo
Comendo o cuzinho da amiga da minha irmã Comendo o cuzinho da amiga da minha irmã
O cara acabou comendo o cuzinho da melhor amiga da sua irmã Vou contar como acabei comendo o cuzinho da amiga da minha irmã. A gatinha se chama Suzana, tem 20 anos e estuda na...
Leia completo

(3) Comentário(s)

  • Saulo - Criado em 02/07/2020 me chama no Whats xxxx
  • Zezinho - Criado em 15/06/2020 Muito bom já fiz de tudo até mesmo incestos meu contato xxx
  • Juliana - Criado em 19/05/2020 Sou evangélica também e estou adorando ser fodida pelo meu pastor gostoso. Adoro mamar o pauzao dele bem babado e depois ser pega de quatro e sentir o pau dele socando na minha bucetinha com força. Gozo muito sem parar.

Deixe seu comentário

Sobre
O melhor site de Contos Eróticos da internet brasileira. Um enorme acervo com diversos temas: porno, sexo, incesto, traição, vizinha, emprega e muito mais contos de sexo! Caso tenha alguma contribuição, nos envie seu conto através do nosso link ENVIE SEU CONTO. Diversos contos de nosso site são retirados de outros sites. Qualquer conteúdo ofensivo, por favor entre em Contato que removeremos imediatamente.
porno - xvideos - hentai - xvídeos - xvideo - porno amador - porno brasil - Acompanhantes BH
© 2014 - 2020 - Contos Eróticos BR: Contos de Sexo, Pornô, Traição, Incesto Todos os direitos reservados.
error: