Conto de Incesto: O dia que eu não aguentei e comi minha sobrinha

O dia que eu não aguentei e comi minha sobrinha. Tenho uma sobrinha chamada Júlia, muito linda, loirinha, ninfetinha de 19 anos, corpinho magro e bem feitinho, seios durinhos com bicos rosadinhos e a maior carinha de safada. Ela gosta muito de mim, sempre fica na minha cola e senta no meu colo como se fosse a coisa mais normal do mundo. É sempre difícil pra mim quando na frente dos outros, de propósito, a safada senta no meu colo, me beija e olha pra mim com cara de safada.

Minha irmã, mãe dela, encara numa boa, porque sabe que sou bom tio com todos e nunca teria malícia com ela, mas com o tempo ficou difícil pra caralho. Eu sou divorciado, tenho 35 anos e moro com minha mãe, vó dela, que vive na igreja ou fazendo trabalhos comunitários com as amigas, por isso fico boa parte do dia sozinho. A Júlia parece que se aproveitava disso para me visitar, um dia ela ia para a piscina do condominio com umas amigas e passou na minha frente usando um biquíni tão safadinho que eu não aguentei, olhei de forma descarada, ela percebeu, deu um sorrisinho safado, que eu vi, e continuou, até que disse:

-Tio, olha se esse biquíni tá bom, tô achando que tô com celulite, dá uma olhadinha aqui pra mim.
Nessa hora o instinto falou mais alto, respondi que ela tava muito gostosa, ela arregalou os olhos e chamou meu nome como se tivesse me dado uma bronca, mas pelo seu sorriso notei que ela gostou. Quando ela foi para a piscina, eu não aguentei e toquei uma bronha pensando em como seria a bucetinha dela, o cuzinho, os peitinhos e como seria gostoso ouvir o gemido dela.

Eu tava louco pela safada e fiquei alguns meses aguentando a provocação dela até que um dia quando eu sabia que o fim de semana seria só meu em casa, mandei uma mensagem pra ela chamando pra fazer companhia para o tio, a gente assistir filminhos e fazer maratona de séries. Sei que é errado mas não aguentava mais ficar só na vontade e ela perturbando.

Chamei ela para um fim de semana e passei a vara

Ela chegou no fim da tarde porque tinha ido ao shopping com as amigas, tava linda com um shortinho branco e uma regata preta, cabelos soltos e bem cheirosa. Naquela hora dei um abraço nela, beijei seu pescoço e notei que ela se arrepiou. Pedi uma comida para nós dois, ficamos vendo TV, não aguentei ela de shortinho e passei a mão nas suas coxas. Ela me olhou espantada e se aproximou mais de mim.

Parei com a carícia e ela logo em seguida segurou minha mão e colocou na sua coxa de novo enquanto fingia prestar atenção na TV. Eu aproveitei e fui mais ousado, fui subindo até sua bucetinha pelas beiradas do short e comecei a fazer um carinho safado que deixou ela logo bem molhadinha. Ela me olhou e disse:
– Eu sabia que você queria isso, mas não é certo, você é meu tio, mas eu também quero.

Foi só ela dizer isso que arranquei seu short, sua calcinha junto e comecei a chupar ela todinha, cai de boca, enfiando minha língua em cada lugarzinho da sua xaninha lisinha e bem rosada. Seu grelinho é uma delícia, grandinho, do tamanho certo pra eu chupar com vontade. Logo ela rebolava na minha boca me chamando de safado gostoso e assim fiz ela gozar na minha língua.

Me senti realizado em experimentar sua buceta gostosa e cheirosa mas eu queria mais, então pedi pra ela chupar meu pau, que tava querendo explodir dentro do short. Logo ela fez o que eu pedi e chupou com mais habilidade que qualquer outra mulher que eu já comi na vida. Uma delícia descobrir que minha sobrinha era a maior putinha.

Eu deixei ela engolir meu cacete e fui sacana, sem avisar gozei na boca dela, achei que ela ficaria puta, mas ela engoliu tudinho e ainda me deu um beijo na boca com o gosto da minha porra quentinha. Eu fiquei beijando ela inteira e o tesão por essa safada é tanto que meu pau ficou duro de novo, aproveitei, mandei ela sentar no colinho do tio, encaixei aquela bucetinha rosada e mandei brasa.
minha sobrinha
Meti gostoso, fiz ela pular no meu cacete grosso que tava pulsando dentro da buceta dela. Dava mais tesão aquele perigo que a gente tava vivendo, a sobrinha dando para o tio, mas comi mesmo, ela quicava na minha pica, gemia alto, dizia que tava gostoso, que meu pau tava arrombando ela todinha e isso me deixava bem excitado.

Eu coloquei ela de quatro e disse que queria comer o cuzinho dela, mas a danada não deixou. Eu insisti, e acabei pedindo então pra fuder sua xota de quatro. Ela ficou na posição, meti gostoso fazendo ela rebolar e enchendo sua bunda branca de tapas, então lambuzei seu cuzinho com a lubrificação dela e fui empurrando a cabeça, ela pensou em não deixar mas acabou dando sinal verde.

Meu pau demorou im tempão pra entrar no cu dela, mas quando entrou foi muito gostoso. Ela gemia de dor, mas logo a safada acostumou e já tava até arriscando rebolar na minha pica. Ela não era virgem do cuzinho mas disse que sentia muita dor dando e resolveu não dar mais pra ninguém, mas eu comi tão gostoso, até deixar um baita buraco largo de tanta pirocada que ela levou e de quebra ainda gozei enchendo seu rabinho de porra até escorrer tudinho.

Prometemos tomar todo cuidado pra ninguém descobrir e ainda comi ela um bom tempo, e acabei viciando minha sobrinha a dar o cuzinho e ensinei muita putaria pra ela na cama. O namorado dela tem sorte de ter pego uma gata que sabe tudo graças ao titio.

Categorias:

Incesto