Cuzinho de Dia dos Namorados

Sexo anal: Cuzinho de Dia dos Namorados

Eu me chamo André, tenho 24 anos e vou contar uma aventura que tive com minha namorada, a Larissa. A nossa primeira vez ficou marcada para a eternidade, pois foi quando tivemos nosso primeiro anal. Foi bem difícil convencê-la a fazer anal, afinal criada nos padrões rígidos da educação familiar. Sempre colocava desculpas, mas como macho eu não desistia de induzi-la há um dia solidificar nossa relação.

Eu e Larissa tínhamos tido uma briga por ciúmes, pois ela soube que andei com uma menina do cursinho. Foi quando respondi me fazendo de santinho:
– Poxa Larissa, você não me dá e ainda quer que eu fique na seca? Sou homem tenho minhas necessidades! Você, o máximo que faz comigo, é uma fodazinha rápida no portão as escondidas!

Depois que reatamos o namoro com Larissa ficou mais quente sempre procurava espaço nas horas que seus pais não estavam em casa. E lá a transa era sossegada. Era uma delicia nossas tardes de muita foda. A inexperiência dela me deixava mais a vontade de querer ensinar os prazeres. E no início foi inibida, mas com o passar dos dias foi se soltando e tornou-se uma putinha muito gostosa.

Adorei ensinar a arte do sexo a minha namorada. O primeiro gozo, sentir seu prazer quando fazia oral, adorava sentir seus lábios carnudos me sugando. De imediato não achava certo beber meu leitinho, mas foi questão de tempo. Logo não deixava desperdiçar nada. Parecia uma bezerrinha desmamada.

Assim o tempo foi passando e nossa relação cada vez mais apimentada. Mas o desejo de comer aquele rabo gostoso aumentava cada dia mais. Eu sempre tentava persuadir Larissa, só deixando-me dá umas dedadas, mas eu notava que ela gostava e sentia prazer. Então na minha experiência sabia que era uma questão de tempo.

Foi o que aconteceu no Dia Dos Namorados depois da balada. Larissa tinha tomado duas caipirinhas e estava mais solta e liberal. No trajeto até sua casa, abriu as pernas e deixando a calcinha à mostra deixava-me acariciar. Meu cacete reagiu de imediato ficando rígido e logo Larissa começou a chupar, desinibida. Larissa me deixava enlouquecido de tesão. Quando estávamos bem perto da sua casa ela me disse que tinha uma surpresa para mim.

Fiquei tranqüilo, esperando a tal surpresa. Assim que parei o carro na frente de sua casa Larissa me falou que a surpresa, era que seus pais não estavam em casa que poderia fazer companhia a ela. Fique feliz afinal teríamos metade da noite e o dia seguinte inteiro só para nós dois. Caramba imediatamente guardei o carro na garagem e assim que entramos na sala começamos a nos beijar ardentemente. Nossas roupas foram tiradas e jogadas. A pressa o tesão nos tornava cada vez mais afoito. Ali mesmo na sala tivemos nossa primeira foda da noite.

Foi gostoso foder no sofá. Sentei e Larissa veio e sentou-se de encontro a mim. E num galope desenfreado senti sua xoxota abrigando meu cacete. Ah como minha guria rebolava e gemia muito. Fiquei alucinado de tesão. O orgasmo foi intenso e mutuo. Fomos tomar banho e as preliminares foram acontecendo. Larissa ficou meio encabulada de inicio, mas logo estava uma verdadeira putinha. Sentada no banheiro pagando maior boquete. Segurei-me para não gozar logo.

Mas a intensidade do prazer era imensa. Ali no momento não estávamos apenas fazendo sexo, mas amor. O prazer real era diferenciado, na real concepção da palavra. Larissa levou minutos me chupando como jamais tinha feito. Depois com olhar de safada levantou-se e no meu ouvido confidenciou…

– André, hoje vou te dar o que há tempos você me pede!
– O que Larissa?
– Hoje você vai provar do meu rabinho… Vamos fazer um anal só te peço que seja cuidadoso afinal é a primeira vez.

Poxa eu nem acreditei que minha namoradinha tinha ficado tão liberal.
– Vem amor vem desvendar dos mistérios do sexo!

Alisava sua bunda tentando dá conforto, sem precipitação, meu cacete parecia de pedra. Passava os dedos na borda de seu anel, notava que sentia arrepios. Comecei a colocar um dedo lentamente, no principio vi que Larissa quis travar, mas o carinho as palavras doces, ela foi se soltando e logo estava laceando com dois dedos. Minha vontade era de meter logo, mas precisava ir com cuidado.

Besuntei com um óleo perfumado o seu anel e a cabeça do cacete,coloquei uma camisinha bem lubrificada e de leve comecei a encostar,aos poucos sentia que precisava calma,afinal não seria apenas uma vez.Comecei lentamente e forcei um pouco até cabeça passar, ouvi um gemido…

– Não para André que estou gostando, pode meter aos poucos amor que eu agüento!

Assim forcei mais um pouco e logo meu cacete estava alojado no rabo de Larissa que rebolava gemendo gostoso. Comecei a estocar tirando o cacete deixando só cabeça dentro depois metia todo de vez. Várias vezes seguidas! O prazer tomava conta de nossos corpos. Empurrava e com uma mão massageava seu clitóris. Nunca vi Larissa gemer e rebolar tanto,pressionava e prendia meu cacete com seu anel.

Dando cuzinho no dia dos namorados

Dando cuzinho no dia dos namorados

Uma delicia sentir isto. Depois de alguns minutos no vai vem gostoso o bailar de nossos corpos unidos. Senti meu cacete se avolumar a pressão e a explosão do orgasmo. Larissa gozou juntamente comigo sentia seu corpo em frenesi, seu clitóris enrijeceu e senti sua xoxota inundar de seu néctar. Eu dedilhava e meus dedos ficavam encharcados de seu gozo. A respiração ofegante foi acalmando-se e ouvi Larissa com um sorriso dizer.

– André, eu não sabia que era tão gostoso assim.

Ficamos repousando abraçados esperando meu cacete amolecer e sair da caverna mais gostosa que já provei na minha vida. E desde aquele dia a nossa relação foi ficando cada vez melhor. Eu nunca tinha sentido tanto prazer no sexo anal como senti naquele dia. Foi,sem dúvida, o melhor presente de Dia dos Namorados que já ganhei. Eu André, me considero o homem mais feliz do mundo, por ter Larissa como minha namorada, a mulher de minha vida.

Posts relacionados

O tio safado e a sobrinha carente O tio safado e a sobrinha carente
Contos de Incesto: O tio safado e a sobrinha carente O tio safado e a sobrinha carente. Meu tio é um coroa meio gordinho chamado Marcolino. Ele tem uma oficina que fica na rua da minha...
Leia completo
O Queridinho da Mamãe O Queridinho da Mamãe
Quadrinhos da Família Sacana: O Queridinho da Mamãe Que o Carlinhos é o Queridinho da Mamãe, isso todo mundo já sabe. Mas que ele é um tremendo punheteiro, sua mãe vai descobrir...
Leia completo
Putinha dos amigos do meu irmão Putinha dos amigos do meu irmão
Contos de GangBang: Putinha dos amigos do meu irmão Putinha dos amigos do meu irmão.Quando eu tinha uns 18 anos eu era bem safadinha. Adorava usar shortinhos curtinhos, na verdade até...
Leia completo
Comi minha prima casada Comi minha prima casada
Conto de Incesto: Comi minha prima casada Comi minha prima casada. Meu nome é Paulo e vou contar um fato que aconteceu comigo a uns anos atrás. Adoro ler contos eróticos e decidi...
Leia completo
Sobre
O melhor site de Contos Eróticos da internet. Um enorme acervo com diversos temas: porno, sexo, incesto, traição, vizinha, emprega e muito mais! Caso tenha alguma contribuição, nos envie seu conto através do nosso link ENVIE SEU CONTO. Diversos contos de nosso site são retirados de outros sites. Qualquer conteúdo ofensivo, por favor entre em contato que removeremos imediatamente.
Contos Eróticos BR© 2015 / 2019 - Contos Eróticos BR Todos os direitos reservados.