Contos de Incesto: Papai enfiou no meu cuzinho

Papai enfiou o pau no meu cuzinho. Essa é mais uma história de incesto que vocês já devem ter lido muito, e como sou louca por esse assunto desde que transei com meu pai, resolvi contar meu relato para vocês e espero que gostem.

Eu tenho 21 anos e sempre dormi com meu pai, principalmente depois que minha mãe traiu ele com um amigo do trabalho e deixou a gente. Meu pai sempre cuidou bem de mim mas morre de ciúmes até hoje acho que por causa do que minha mãe fez. Quando eu saia com algum namoradinho ele dizia que eu era uma vadia igual a ela, eu ficava muito puta e passava dias sem falar com ele, aí ele arrependido vinha, se desculpava, trazia algum presente que eu gosto e dizia que eu era sua menina.

Eu sempre fui curiosa com relação a sexo e um dia lembro que fiquei mais velha, meu corpo virou de mulher e notei que meu pai me olhava de outra forma, sem falar que um dia enquanto eu dormia de shortinho com ele, o seu pau acabou ficando duro, ele colocou uma almofada em cima para disfarçar mas aquilo me deu muito tesão. Minha boceta ficou molhadinha e foi aí que descobrir os prazeres do corpo quando comecei a mexr no meu grelinho gostoso e pela primeira vez tive um orgasmo, tudo pensando no meu pai.

Rolou uma festa aqui na cidade, uma balada que eu e minhas amigas estávamos esperando mas meu pai não queria que eu fosse de jeito nenhum, foi uma briga, disse que eu tava querendo ficar solta igual uma piranha e eu bem revoltada saí sem olhar pra cara dele. Nesse dia eu só queria curtir, enchi a cara, beijei vários gatos mas a cada homem que eu beijava só pensava no meu pai.

Peguei um gatinho que era o maior comedor da cidade, a gente foi para um canto onde ele pegou na minha boceta e começou a me masturbar e eu fiz o mesmo, tava uma delícia, mas eu pensava em como seria gostoso se fosse meu coroa no lugar. Depois de encher muito a cara fui pra casa de carro com as amigas e assim que entrei a luz tava apagada mas vi meu pai sem camisa, de short e com uma garrafa de wisky em cima da mesa bebendo um copo e me olhando de cara feia.

Ele me pegou a força e me fez mulher

Assim que acendi a luz ele perguntou se era estado de uma mulher chegar em casa, bêbada, com a maquiagem borrada parecendo uma piranha e ainda disse que com certeza eu tava dando pra vários igual a puta da minha mãe. Nessa hora o sangue subiu e mandei ele se foder, e logo em seguida ele me deu um tapa na cara com tanta força que eu caí para trás.

Eu levantei com raiva e ele respondeu que se eu queria ser tratada como mulher, ele me mostraria o que é uma mulher de verdade, me puxou pelo braço com força, me jogou na cama dele com violência e me colocou de quatro. Fiquei com medo e toda arrepiada, mas não reagia, ele rasgou minha calcinha, tirou minha saia e começou a lamber meu cuzinho. Pela primeira vez alguém tinha colocado a boca no meu cu e eu achei uma delícia, papai era muito habilidoso nisso, até hoje me pergunto como minha mãe foi trair ele.

Depois de deixar meu cuinho todo lambuzado ele começou a mexer na minha bocetinha com os dedos enquanto forçava a cabeça do seu pau no meu cu, mas eu fiquei nervosa e ele disse:
– Relaxa minha putinha, só vou colocar a cabecinha bem devagar nesse cuzinho apertadinho, você vai gostar de ser comida pelo papai.
De repente eu senti aquela cabeça arrombando meu cu, soltei um grito, chorei, pedi pra ele parar mas no fundo era aquilo que eu queria. Aquele homem gostoso e pesado me punindo da maneira que desse mais prazer pra ele.

Ele disse: – Relaxe, a cabeça já entrou, agora o papai vai colocar tudo, vai doer mas logo vai ficar gostoso. Empina esse cuzinho pra mim e mexe gostoso minha safadinha.
Eu mexia e dizia: – Aí pai, tá doendo! coloca mais devagar
Ele começou a meter bem devagar enquanto estimulava minha boceta, mas quando viu que eu tava mais relaxada, na verdade eu já tava arrombada, meu cu tava dormente, aí ele começou a meter forte, bombando no meu cu bem gostosinho como se fosse na bocetinha.

Ele disse que ia me dar leitinho no rabo, me segurou pela cintura e começou a socar gostoso, fazendo aquele barulho dos nossos corpos se batendo que aumentava meu tesão e fazia minha boceta ficar tão molhada que escorria pelo lençol. Eu tava louca demais e pedia:
– Vai pai, mete mais, aí que delícia! Seu pau é muito gostoso, quero sentir ele entrando bem fundo.
papai
Isso deixava ele doido, ele depois mudou de posição, mandou eu abrir minha bocetinha, foi ao banheiro lavar o pau, voltou limpinho e ele começou a me comer, pesando em cima de mim, me fazendo prender as pernas na sua cintura. Foi um tesão, não queria que aquilo acabasse. A cada socada que ele dava, eu gemia alto e ele enfiava aquele pau, empurrando até as bolas, uma delícia do caralho.

Essa noite fui bem comida, ele gozou dentro da minha boceta e ainda me fez lamber o resto da porra que tava no seu pau, o que eu fiz com vontade. Depois disso passei a transar com meu pai regularmente, todo dia ele vem todo safado e me come de tudo que é jeito e eu adoro.

Categorias:

Incesto

Comments are closed.