Conto de Colegiais: Fodendo a professora do ensino médio

Fodendo a professora do ensino médio. Me chamo Leo, hoje tenho 25 anos, mas fui daqueles atrasadinhos da escola, que com 18 anos ainda tava fazendo o terceiro ano depois de ter reprovado duas vezes no fundamental.

Eu tinha uma professora que deixava todo mundo louco, uma loira gostosa, dona de um rabo enorme e uma cara de safada que me deixava imaginando como ela deveria ser na cama. Ela era bem séria na sala de aula mas volta e meia ia com vestidos curtos que me deixava hipnotizado olhando para as pernas dela.

Ela percbeu no começo, ficava sem graça mas com o tempo ela foi até gostando, vinha até mais arrumada pra aula, bem gostosa. Perdi a conta das vezes que eu tocava punheta no banheiro do colégio pensando nela, puta que pariu, ela era muito tesuda. Na época ela tinha 35 anos e um corpão do caralho, o marido bancava ela de tudo, ela dava aula na escola pública porque gostava mesmo.

Eu como sempre, tava precisando de nota, e como eu treinava no time de basquete, fiquei até mais tarde no colégio, até que vi ela saindo e fui conversar com ela, meio que mendigar notas e disse que precisava muito passar porque meus pais não iam tolerar outra reprovação.

Eu disse que faria tudo o que ela quisesse e nessa hora a safada deu um sorrisinho e disse:
– Tudo que eu quiser mesmo? Olha que posso pedir algo bem estranho para você hein?

Nessa hora fiquei louco pra ela pedir pra foder comigo, imagina que tesão. Ela então disse que no disse que no dia seguinte depois da aula conversaria comigo, até aí beleza.

No dia seguinte fui conversar com ela, a professora me passou um trabalho para ajudar e fui com ela até o estacionamento ajudando a levar umas caixas para o carro dela. Ela me ofereceu carona e não sei como criei coragem, mas no meio do caminho ela toda hora passava a mão na minha perna enquanto a gente conversava, que não aguentei e passei a mão nas coxas dela.

A safada não reclamou, continuei, fui subindo mais um pouco, e cheguei na sua bucetinha gostosa. Ela era decidida, sem falar nada entrou no motel mais próximo que a gente viu, estacionou o carro e quando desceu já veio me agarrando e me beijando gostoso.

Acabei no motel com a minha professora de matemática

Eu continuei o beijo enquanto acariciava sua buceta gostosa, bem molhadinha pela pegação gostosa que tava rolando entre nós. Fui subindo a mão pelas suas coxas, ela se arrepiou toda, intensifiquei meus toques e ela abriu meu zíper, colocou minha rola dura pra fora sem parar o beijo e começou a tocar uma punhetinha discreta que me deixou doido.

Ela então foi me empurrando e disse:
– Vamos subir que eu tô doida pra dar
Depois de ouvir uma dessa, fui entrando com ela no quarto, joguei ela na cama, fui tirando sua roupa, a minha e admirei o corpo perfeito daquela milf por uns instantes e fui subindo em cima dela, beijando cada pedacinho da safada.

Com ela ainda deitada eu coloquei meu pau na boca dela e mandei ela chupar enquanto segurava sua cabeça pra enfiar até o talo na sua boca gostosa. Ela mamou, batia uma e alternava chupando meu saco. Ela me descontrolou todo e ficou doidinha.

Eu também quis provar o gosto da sua bucetinha com pelinhos ralinhos e fui descendo até enfiar minha língua lá embaixo. Eu beijei sua bucetinha inteira, lambia e colocava meus dedos, ela gemia e pedia pica o tempo todo, ela tava doida por isso.
Fodendo a professora
Ela gemia igual cadela no cio e falava:
– Me fode, quero ser sua putinha, me arromba toda com seu pau gostoso.
Caralho, nunca imaginei que minha professora de matemática fosse tão putinha e comecei a beijar o pescoço dela, e quando eu ia meter ela me parou e mandou eu pegar uma camisinha na gaveta.

Encapei meu pau, ela continuava pedindo pra eu comer ela e tocava uma siririca com as pernas bem arreganhadas olhando pra minha cara enquanto dizia: vem!

Eu coloquei a puta de frango assado, comecei a meter na sua buceta gostosa e ia aumentando as estocadas sem dó dela, chamando ela de puta, de piranha e ela gemendo e mordendo os dedos de tanto tesão. Bem safada a minha professora.

Ela ia arranhando minhas costas, pedi pra ela ficar de quatro e meti gostoso, de quebra ainda comi o cuzinho dela que era bem apertadinho e o prazer foi maior. Ele rebolava no meu pau, me xingava de tudo que é nome e avisei que ia gozar, ela ficou mandando eu gozar e disse pra eu gozar na cara dela.

Não demorei muito bombando, senti que ia gozar e tirei meu pau e a camisinha pra tocar uma punhetinha na cara dela até a gozada chegar, e quando veio foi uma jatada de porra bem forte na cara dela. A safada se deliciou lambendo minha porra.

Depois dessa foda nem precisei de trabalho, tirei nota 10 e de quebra ainda fiquei comendo minha professora mais um tempo.

Categorias:

Colegiais