Contos de Traição Feminina: Perdi meu cuzinho virgem na aposta

Oi, meu nome é Mariana, tenho 28 anos, 1,65 de altura, uma bunda durinha bem arrebitada e cabelos loiros.

Modéstia a parte, eu sou bonita e chamo atenção por onde passo.

Tenho um namorado chamado Rodrigo e nossa relação já dura 5 anos.

Trabalho em uma agência de publicidade e gosto muito de lá.

Posso me considerar uma mulher quase realizada, digo quase, porque minha vida sexual sempre foi insatisfatória.

Eu conheci meu namorado na igreja evangélica que nós frequentamos até hoje e recebi uma educação meio rígida. Sempre ouvir que uma mulher não deve dar antes de casar e muito menos se masturbar.

Cresci respeitando esses princípios mas quando comecei a namorar o Rodrigo, não nos seguramos e acabamos transando. Lembro que minha primeira vez foi tarde, com 23 anos e foi uma merda. Não senti prazer nenhum, só dor. Meu namorado ia metendo na minha bocetinha virgem e eu só pensando na hora daquilo acabar.

Nossa vida sexual continuou do mesmo jeito da primeira vez, sem eu conseguir um orgasmo e me sentindo mal por fingir, mas quando tocava uma siririca, era uma delícia e conseguia gozar rapidinho.

Uma coisa que sempre tive curiosidade foi sobre sexo anal, mas nunca tive coragem de falar sobre isso com meu namorado, já que ele é meio antiquado e poderia dizer que isso é coisa de puta.

No meio do ano, um cara novo chegou no meu trabalho, o nome dele é Marcelo, um moreno alto, de cabelos pretos em um corte moderno, uma barba ralinha e uma cara de safado que deixou a mulherada da agência louca por aquele macho.

Confesso que fiquei bem mexida conforme nós dois íamos nos conhecendo melhor e o Marcelo sempre se insinuava pra mim, mas sempre cortei com a desculpa do meu compromisso.
Eu costumava ficar até tarde na agência, precisava fazer um extra pra pagar minha faculdade e sempre ficavam uns gatos pingados por lá.

Justo numa sexta que resolvi ficar até mais tarde já que meu namorado estava em um retiro da nossa igreja e não nós veriamos no fim de semana, o Marcelo resolve me chamar pra tomar um drinque depois de tanta trabalheira.

Minha vontade era de dizer que sim e sair sozinha pra conhecer mais daquele homem que me chamava atenção, mas eu sempre fui muito correta e não acho certo sair sem o Rodrigo, então tive que recusar.

O Marcelo fez uma cara de desapontamento mas entendeu e disse que ficaria para uma próxima.

Fui pra minha casa, tirei a roupa e fui louca tomar um banho.

Enquanto lavava meu corpo, veio a imagem do Marcelo na minha cabeça e resolvi tocar uma siririca bem gostosa.

Meu grelo tava pulsando e doendo de tanto tesão, minha respiração estava ofegante e comecei a fazer movimentos circulares e depois enfiei um dedo na xaninha. Não demorou muito e gozei, uma gozada tão gostosa que minhas pernas ficaram trêmulas.

Me vesti cheia de culpa e fui para meu quarto, pensando no que tinha acabado de fazer. Me masturbei pensando em outro homem e gozei gostoso.

No dia seguinte, um sábado, comprei umas coisinhas pra comer e tava me preparando para fazer uma maratona de séries vestida no meu baby doll, mas para minha surpresa, recebi uma ligação do Marcelo, perguntando se eu não gostaria de sair. Eu sei que deveria ter dito que não, mas acabei topando. Nós dois fomos para um barzinho bacana, tinha salão de jogos e tudo mais. Tomamos uns drinques e não sou muito forte pra bebida, então logo eu fiquei de fogo não só pela bebida, mas também pelo tesão de ter aquele macho gostoso perto de mim. O

Marcelo me chamou pra jogar uma partida de sinuca, a essa altura eu tava tão bêbada que aceitei, mesmo não sabendo jogar porra nenhuma.

Antes de começar o jogo ele disse que curte mais jogar apostando. Perguntei que tipo de aposta e ele disse que me daria uma vantagem, mas que se ele ganhasse, poderia escolher algo que ele quisesse e se eu ganhasse seria a mesma coisa.

Eu não sei se foi pelo fato de estar embriagada ou se foi porque no fundo eu vi a malícia no comentário dele, mas acabei aceitando e é lógico que perdi né?

Já eram umas duas da manhã quando ele foi me deixar em casa e perguntei sobre a aposta. O cara na maior cara dura respondeu que queria algo íntimo meu, pensei na hora que fosse uma calcinha ou algo do tipo, mas ele disse que era algo muito melhor: O meu cuzinho!

Fiquei sem graça mas ao mesmo tempo com um tesão do caralho e acho que ele percebeu, já que deu um sorriso bem safado.

Ele perguntou se podia entrar, eu disse que sim, cheia de pensamentos confusos.

Entramos e assim que fechei a porta ele veio me beijando gostoso, enfiando aquela língua molhada na minha boca, minha boceta nessa hora ficou enxarcada, escorrendo tudo para a calcinha minúscula que eu estava usando.

Finalmente a putaria ia rolar

Nunca senti tanto tesão na vida, nem pelo meu namorado que eu amo muito.

Sentir aquele homem gostoso beijando meu pescoço, me deixando arrepiada e encostando em mim pra eu sentir seu pau duro na minha barriga. Deu pra perceber que ele é bem dotado e já fiquei com medo só de imaginar ele comendo meu cu com aquele pauzão.

Assim que ele botou pra fora eu vi que realmente era grande, uns 21 centímetros de rola, grande, grossa e veiuda, e ele ordenou que eu chupasse.

Fui igual uma puta, cai de boca, chupei a cabeça daquela pica, o saco gostoso dele que batia no meu queixo e fiz ele urrar de tesão. Ele perguntou onde era meu quarto, eu disse q nós fomos pra minha cama, onde ele tirou minha calcinha molhada e enfiou a língua na minha boceta de um jeito que o Rodrigo nunca sonhou em fazer. Depois de chupar gostoso ele subiu em mim e meteu aquele pauzão grosso, confesso que doeu bastante já que meu namorado não é muito bem dotado, digamos assim…

Continuamos fodendo gostoso, eu gemendo alto igual uma puta no ouvido dele e de repente senti que ia gozar. Foi a primeira vez que gozei fodendo com alguém e na mesma hora fiquei apaixonada por aquele homem tesudo.

Quando pensei que depois de me fazer chegar ao céu com aquele orgasmo tão intenso, ele fala que agora era a hora de pagar a aposta. Me deu um misto de tesão e medo e confessei pra ele que nunca tinha feito sexo anal.

Aquela informação fez os olhos dele brilharem e ele disse que seria paciente e faria devagar.

perdi-meu-cuzinho

Pediu pra eu deitar de bruços, botou uma almofada para meu rabo ficar mais alto na direção do pau dele e eu prontamente obedeci ao meu macho.

Ele começou e pedir para eu relaxar, deu uma cuspida já que não tinhamos lubrificante e começou a passar a cabeça do pau na portinha do meu cuzinho rosado.

Só aquela brincadeira safada já tava uma delícia pra mim! Comecei a gemer e ficar mais relaxada, ele meteu um dedo, doeu mas eu deixei pra ver até onde ia. Ele conseguiu deixar meu cuzinho relaxado e até tava gostoso, foi quando ele foi enfiando o pau devagar, foi uma dor absurda, as lágrimas desceram do meu rosto mas naquele momento eu queria ser a puta do Marcelo e realizar todas as vontades dele.

Ele foi metendo devagar e aos poucos foi aumentando, a dor não tinha parado mas até que tava gostoso, comecei a entrar no clima e rebolei no pau dele, que ficou louco de tesão com esse gesto e meteu mais forte esse pau delicioso. Ficamos a noite inteira assim, eu chupando ele, ele comendo minha boceta e meu cuzinho.

No outro dia acordei sem ele ao meu lado, já que era domingo e meu namorado retornaria aquele dia, mas acordei super dolorida, meu cuzinho tava todo arrombado, minha boceta também. Ainda bem que o Rodrigo geralmente chega cansado desses retiros e não me procura para sexo, porque não ia aguentar dar arrombada do jeito que eu estava.

Aguardei ansiosa pela segunda para eu ver o Marcelo, não sabia como ia ser, se ele me trataria como objeto ou comentaria que gostou tanto quanto eu.

Para minha surpresa, o Marcelo me chamou pra almoçar com ele e disse que adorou tirar o cabaço do meu cuzinho e que gostaria de repetir mais vezes. Fiquei mexida mas disse que eu tinha que honrar meu compromisso, mas ele disse que eu não precisaria terminar e nem que se a gente parasse de transar iria apagar o que a gente já tinha feito, então se eu já tava na merda, continuei matando meu desejo com esse macho.

Até hoje nós dois transamos bastante e isso ajudou até a melhorar minha relação com meu namorado. Hoje tô mais confiante, mais segura e consigo compartilhar com ele meus desejos e até ensinei muita coisa para o meu homem, que hoje em dia consegue me fazer gozar gostoso.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*