Contos de Traição: Trepando com o patrão do meu marido

Trepando com o patrão do meu marido

Me chamo Ana Carla, tenho 36 anos mas aparento ter muito menos. Sempre me cuidei e frequentei academia, sempre fui uma mulher vaidosa. Sou loira, morena, adoro ficar com meu corpinho bronzeado, tenho 60 quilos, 1,69 de altura e um corpo todo trabalhado na malhação. Meu marido Tony é ciumento demais, foi meu segundo namorado e resolvi casar logo, mas me dei mal com esse jeito controlador do meu marido.

Um dia peguei uma mensagem estranha no celular dele, descobri que ele tava me traindo e fiquei revoltada. Homem é igual cachorro mesmo, eu sempre fiz de tudo e ele comendo a secretária de 20 anos do trabalho dele. Fui lá na empresa de advocacia onde ele trabalha e comecei a brigar com ele e chorar.

Seu chefe, o Ricardo, sabia do que se tratava e me levou para a sala dele, me trouxe um copo de água e começou a conversar para eu me acalmar. Mesmo transtornada eu observei que ele é um homem muito bonito, moreno, alto, cara de filhinho de papai, cabelos levemente grisalhos e um sorriso bonito.

Depois disso ele me pediu meu telefone porque disse que ia ficar preocupado se não falasse comigo depois. Até então achei que era só uma gentileza do chefe do meu marido.

Em casa eu e meu marido ficamos num clima péssimo, sem se falar e ele falando escondido com a vagabunda pela casa, mas me aliviou saber que ela tinha sido demitida. O Ricardo ligou pra contar e me convidou para almoçar.

Enquanto a gente conversava durante o almoço e um copo de vinho branco e outro, ele segurou minha mão, disse que eu era uma mulher muito linda pra passar por aquilo e que meu marido tava louco, logo ia se arrepender.

Pronto, bastou essas gentilezas misturadas com minha carência de sexo, pra eu começar a me sentir atraída pelo patrão do meu esposo. A gente passou a se falar todos os dias e aos poucos as conversas foram ficando mais cheias de indiretas, e eu não parava de pensar nele como homem, em imaginar o corpo dele, o pau, a forma que ele trepava, tudo!

Resolvi me divertir para esquecer os problemas em um sábado a noite, eu e mais 3 amigas. A gente encheu a cara, dançou, curti como a muito tempo não fazia. Eu tava com um vestidinho branco bem coladinho e um salto 15. Eu dançava até o chão, rebolava e via os olhares safados de vários homens, isso fez eu me sentir gostosa novamente.

Não resisti e mandei vários nudes pra ele

Eu sempre fui meio fraca pra bebida, do tipo a bebida entra e a verdade sai, então entre um tequila e outro comecei a pensar no Ricardo. Fui ao banheiro da boate e mandei uma mensagem pra ele perguntando se tava acordado.

Ele respondeu rapidamente dizendo que tava sozinho na cama vendo um filme. Senti que a parte sozinho na cama era quase uma deixa para eu me oferecer. Comecei a conversar besteira com ele, mas não aguentei e do nada feito uma louca, tirei uma foto do meu vestido curtinho e mandei pra ele.

-Nossa, você tá muito gostosa hein? com todo respeito.

-Você acha? -perguntei.

-Muito, tá uma delícia, manda mais fotos pra mim?

Aproveitei que ele tinha dado corda e eu tava muito bêbada, tirei uma foto da minha calcinha e mandei, depois mandei uma foto da minha bucetinha. O homem ficou louco, me mandou várias mensagens falando que tava de pau duro, que eu tinha deixado ele louco e querendo me ver.

Eu disse o nome da balada onde eu tava e depois de meia hora ele ligou dizendo que tava na porta. Meu coração disparou, uma coisa era falar putaria por mensagem, outra era encarar aquele homem, contei as minhas amigas que tava meio bêbada e ia pra casa com o chefe do meu marido e encontrei com ele no estacionamento.

Ele tava lindo, cheiroso e arrumado. Dei um beijo no rosto dele e ficamos parados ali. O estacionamento é bem escuro, difícil alguém ver a gente ali com facilidade. Começamos a conversar e ele disse:

-Você quase me matou de tesão com as fotos que me mandou. Tive que tocar uma punheta antes de vir pra cá.

Fiquei vermelha, arrepiada e senti que minha bucetinha tinha ficado úmida com tal revelação.

-Acho que se você passar a mão vai ficar duro rapidinho.

Eu passei a mão e o pau dele foi crescendo cada vez mais, ele colocou pra fora e perguntou se eu queria colocar a boca, claro que eu cai de boca e comecei a mamar sem pensar duas vezes. O pau dele é bem maior que o do meu marido corno e bem grossinho do jeito que eu gosto.

Mamei gostoso mesmo, chupava tudo com vontade, o pau, o saco, deixei ele todo babado.

-Caralho mulher, você é gulosa hein? também quero provar você.

Desci do carro depois dele pedir, ele abaixou os bancos e sentei no colo dele. Eu tava de calcinha ainda e comecei a roçar a bucetinha na pica dele, o safado já com o pau pra fora me implorava pra me comer, assim que eu gostava de ver.

-Deixa eu te comer, tô aqui latejando de tesão, dá essa bucetinha pra mim, garanto que vou fazer gostoso.

Nessa hora afastei a calcinha e com uma mão encaixei o pau dele, comecei a cavalgar bem gostoso, o safado ficou louco de tesão.

-Puta que pariu, que gostoso, que vontade de comer sua buceta.

-Então aproveita e me come bem gostoso, você é muito safado, me deixa louca!

Ele continuou me comendo bem gostoso, apertando minha cintura, chupando meus peitos que estavam bem durinhos de tesão.

-Que delícia, que apertadinha, que bucetinha deliciosa.

Ele continuou me comendo e acabou gozando gostoso pra caralho dentro da minha xana e me levou embora. Me senti vingada e virei amante do patrão do meu corninho.

trepando

trepando

trepando

Categorias:

Contos de Traição