Patroinha botando chifre com empregados

10 votes

Olá meu nome Julio (nome fictício), tenho 45 anos, magro, cabelos grisalhos, casado com Lorena (nome ficticio) corpo atlético, malhado de academia, falsa magra, um bundao de deixar neguinho tarado, peitinhos durinhos médios e uma buceta de enlouquecer, carnuda com grelo grande gostoso de chupar e meter.

Bem o que vou contar aconteceu de verdade eu tenho uma loja automotiva de pneus e troca de óleos, tenho 5 funcionários sendo dois no setor de vendas Paulo e Vinícius ( nomes fictícios ). Minha mulher Lorena trabalha comigo no escritório então como tenho que sair pra serviços externos sempre ela fica no comando da loja.

A patroa e seus empregados no escritório da oficina

Um certo dia sai pra resolver uns problemas, estava um dia fraco de movimento, então avisei ela que ia demorar umas duas horas e fui resolvi um dos problemas rapidinho e o outro não foi possível. Então voltei pra loja quando cheguei na loja não vi ninguém na recepção, procurei por ali não vi ninguém fui para o escritório e quando cheguei na porta ouvi uns barulhos de gemidos, olhei a porta estava só encostada quando olhei pra dentro Paulo estava sentado na mesa e ela de quatro chupando a rola dele e o Vinicius metendo a pica na buceta dela com toda força e batia na bunda chamando ela de patroinha gostosa e que adorava fuder ela.

Enquanto isso Paulo mandava ela chupar gostoso que que tinha uma boca de veludo e em seguida trocaram de lugar. Ela passou a chupar Vinicius e o Paulo a fuder ela mas só que ele queria comer o cu dela, meteu a língua chupou bastante deixou ele bem lubrificado de saliva e meteu a rola de uns 17cm no cu até encostar as bolas na bunda dela.

Eu via tudo aquilo sem reação de raiva e sim com tesao pois não conseguia fazer nada a não ser ficar olhando eles fuderem e ouvindo ela pedir mais rola mete mete tudo arregaçar esse cuzinho de vocês, logo Vinicius levantou da mesa e colocaram ela deitada em cima da mesa e o Paulo voltou a meter a rola no cu dela enquanto Vinicius metia a ela na buceta dela uma dupla enrabada e ela gemia e gozava alucinadamente. Quando terminam ela chupou o pau dos dois e disse vamos logo antes que o Julio chegue.

Eu saí dali rápido e fui pra área de serviços pra eles não verem passado um tempinho entrei estavam os dois lá tranquilos como se não tivesse acontecido nada, fui para o escritório Lorena estava sentada trabalhando tranquilamente falei pra ela que podíamos ir embora que Paulo e Vinícius fechariam a loja. Ela pegou seus pertences e fomos pra casa no caminho disse que quando cheguei na loja não tinha ninguém na frente na recepção e perguntei onde ele estavam, ela falou que não sabia, então foi quando falei que tinha visto eles fudendo ela no escritório. Ela começou a chorar pedindo perdão. Perguntei a quando tempo acontecia ela disse que a quase um ano eles fudiam nela mas não era sempre que ela metia com os dois e perguntou o que ia fazer. Falei quando chegarmos em casa vou meter em você até deixar vc esfolada.

Nesse dia ela fudeu muito pois eu comi ela de todo jeito, comi o cuzinho dela, a buceta, a boca…  fiz ela gozar umas três vezes até ela pedir pra parar que pois não estava mais aguentando. Tomamos um banho aí falei pra ela que não era pra contar pra eles que eu sabia de tudo e que ela me avisasse da próxima foda deles pois eu queria pegar eles no flagra. Assim foi feito mas isso vou contar depois pois está muito longo.

(1) Comentário(s)

  • putinha - Criado em 21/12/2020 Eu sou uma verdadeira putinha que gosta de dar o rabo

Deixe seu comentário

Sobre
O melhor site de Contos Eróticos da internet brasileira. Um enorme acervo de temas: porno, sexo, incesto, traição, vizinha, emprega e muito mais contos de sexo! Quer contribuir? ENVIE SEU CONTO. Qualquer conteúdo ofensivo, por favor entre em Contato que removeremos imediatamente.

porno - contos eroticos - contos erótico - quadrinhos eroticos - Filmes Porno - Xvideos - Porno - Porno Gratis - videos amadores

© 2014 - 2022 - Contos Eróticos → Os Melhores Contos Eróticos e Sexo (2022) Todos os direitos reservados.