Contos de Fetiche: Minha empregada viajou e deixou a filha dela

Minha empregada viajou e deixou a filha dela

Sou fotógrafo, me chamo Henrique, tenho 34 anos e divorciado. Depois que separei não quis mais relacionamento sério, era só pegar as gatinhas e meter mesmo. Como tenho um estúdio em casa, preciso de alguém para me ajudar, e a Rose, uma senhora de 40 e poucos anos, muito simpática, é quem sempre me ajuda nas tarefas de casa e do trabalho.

A Rose é uma senhora meio cheinha, peituda e com um rabão, é do tipo camarão, dá pra aproveitar o corpo rs. Ela sempre falava da família dela, mas eu não cheguei a conhecer ninguém, até o dia em que a mãe dela ficou doente lá no nordeste e a Rose me pediu uns dias de folga para viajar, e como ela não queria me deixar na mão, disse que sua filha Rafaela viria todos os dias para me ajudar.

A Rafa é uma moreninha gostosa de cabelos ondulados, peito grande, falsa magra, com uma bunda deliciosa. E quando a vi pela primeira vez eu fiquei doido, eita mulher bonita. Ela tem 19 aninhos de pura gostosura, faz o tipo mulherão mesmo, comecei a tratar ela muito bem, ela me disse que era solteira, tinha acabado de terminar um namoro e eu queria me dar bem.

Os dias foram passando, ela me ajudava aqui nas fotos e logo eu fiquei dando em cima dela, morrendo de vontade de pegar essa gata. Ela notava que eu tava a fim e se insinuava. Ela vinha trabalhar e colocava shortinhos pra fazer a faxina, o que me deixava com muito tesão.

Eu não sabia quanto tempo ia resistir a essa mulher gostosa, cada dia era uma punheta e um tesão doido querendo essa safada. Um dia não aguentei, cheguei na cozinha no fim da tarde e vi ela lavando a louça com um shortinho curto que quase mostrava a papada da sua bunda gostosa.

Meu pau começou a latejar, ela me olhou e disse que tinha feito café, me ofereceu e disse que eu ia adorar. Enquanto eu tomava café, vi ela abaixando para guardar as panelas e nessa hora meu pau endureceu de vez, o tesão por essa morena era grande demais pra aguentar.

Enquanto ela tava abaixada vi que o shortinho era tão justo que sua bucetinha inchada tava toda marcada e partida ao meio. Que delícia, fiquei observando tudo, sua cinturinha fina, coxas grossas e sua bunda e xana que são grandes.

Comecei a puxar papo, perguntei se ela pensava em voltar a namorar, ela disse que tava cansada de garotos, que queria um homem de verdade com experiência pra ensinar tudo pra ela.

– Qualquer homem ia querer namorar com você, com um rosto lindo desses e um corpão. E desculpa falar Rafa, mas com esse shortinho, fica difícil qualquer um resistir.

-Aiii seu Henrique, assim eu fico sem jeito, você enchendo minha bola desse jeito, vou ficar me achando.

-É pra ficar se achando mesmo,e já que você comentou, eu acho você bem gostosa.

Ela agradeceu e notei que ela queria provocar, a safadinha gostava de se exibir. Ela passava de um lado para o outro na cozinha e meu pau tava completamente duro com aquela bucetinha gostosa marcada, e deu pra ver que ela era uma ninfeta bem safadinha, porque exibia tudo sem nem se importar.

Meu pau ali estufado na bermuda, eu não sabia se deveria levantar da mesa ou não e como tava sem controlar mais o tesão, comentei:

-Nossa Rafa, esse seu shortinho tá me deixando sem controle.

Ela toda putinha veio pertinho de mim fingindo que ia pegar algo na mesa, virou a bunda e eu não aguentei mais.

-Nossa, dá pra ver que você tá sem calcinha, né safada? ia adorar cheirar esse short a noite toda.

Puxei ela pela cintura e disse:

-Vem cá, senta essa bundinha gostosa no meu colo.

Ela sentou, comecei a passar as mãos nela, nos peitos gostosos, fui descendo até alcançar sua bucetinha e percebi que a safada tava toda molhadinha já.

Ela foi abrindo mais as perninhas, enfiei dois dedos, senti que tinham pelinhos ralinhos nessa buceta gostosa. Que loucura a gente tava fazendo, eu ali metendo os dedos na buceta encharcada dela, a putinha gemendo gostoso e se mexendo no meu colo.
minha empregada
Não aguentei, ergui ela um pouco, coloquei a rola pra fora e penetrei devagar na xaninha dela. Ela soltou um gemido alto começou a respirar fundo, rebolar gostoso.

Comi muito essa buceta gostosa, fui tirando o resto da roupa dela, me livrei do seu shortinho, peguei ela no colo, coloquei deitadinha em cima da mesa, puxei até meu pau e continuei comendo essa vadia gostosa.

A bucetinha peluda dela toda abertinha pra mim, me deixou louco, soquei gostoso, arrombei ela toda. Queria meter até o talo, eu queria deixar ela toda arrombada, fudida mesmo de tanto levar pica.

-Aii Henrique, como você fode gostoso, que delícia de pica, tá deixando minha bucetinha toda assada.

Ela falou isso e várias outras putarias dignas de filme pornô e quanto mais putaria ela falava, mais eu ficava louco. Xinguei a safada, enchi esse cuzão delicioso de tapas, puxei cabelo, eu tava doido por ela.

Pedi pra ela ficar de quatro, me deliciei com o cheiro e a visão desse rabo gostoso. Quando ela empinou, abri as duas bandas da bundinha dela e comecei a lamber seu cuzinho todo, chupei, lambi com vontade e senti cada pelinho do corpo dela se arrepiando inteiro de prazer.

Ela rebolava aquele cu gostoso na minha língua, parei de chupar, meti na buceta gostosa dela, fiquei com muito tesão socando naquela safada, e mais ainda quando ela me disse que ia gozar. Não aguentei e gozei muito dentro da buceta gostosa dela, deixei muita porra na safadinha.

Quando tirei o pau ela chupou tudinho, engoliu toda a porra que tava nele e ainda lambeu os dedos. Eu fiquei feliz demais nesses dias que passei com a Rafa, ainda mais quando a mãe dela falou que ia ficar mais uns dias no nordeste, aí que eu aproveitei muito essa morena.

Categorias:

Fetiche