Conto de Virgens: Fodendo a vizinha da igreja

Fodendo a vizinha da igreja. Eu me chamo João, tenho 38 anos, sou casado e viciado em sexo. Minha esposa acabou perdendo o interesse depois que a gente teve filho, por isso eu vivia na punheta ou tendo um casinho aqui e outro ali. Tenho uma vizinha chamada Sara, que tem 20 anos e é de uma família bastante religiosa que mora na casa ao lado da minha.

O pai dela e a mãe são muito rígidos, daquele tipo que ela não podia namorar de jeito nenhum, tinha que conhecer um rapaz da igreja e casar. Imagina que saco não era a coitada não poder experimentar os prazeres da carne. Eu falava com ela e com a família dela numa boa, já conheco todos a muitos anos e com o passar do tempo a Sara foi virando uma mulher muito linda.

Eu passava e olhava pra ela e ela correspondia sempre muito educada, eu achava ela linda mesmo com aquelas roupas comportadas, mas um dia tudo foi diferente, eu fiquei de fazer um favor para a mãe dela (sou eletricista) só que no dia a velha saiu e disse que a filha estava lá, mas quando entrei sem fazer barulho não vi ela pela sala.

Resolvi ir ao quarto dela na maior cara de pau e quando chego lá advinha? Peguei ela de shortinho dançando funk toda gostosa com a papada da bunda aparecendo. Nem parecia a mesma pessoa, ela tava muito gostosa, cara de putinha mesmo e assim que me viu ela tomou um baita susto, me pediu mil desculpas e pediu pra eu não contar nada pra ninguém sobre isso.

Eu disse que entendia, seria nosso segredo mas que ela ficava muito gatinha dançando. Ela baixou a cabeça sem graça e disse que precisava se trocar. Eu nem preciso dizer que fiquei doido de tesão né? depois que me despedi dela fui pra casa e toquei uma punheta pensando naquela ninfeta gostosa. Eu precisava comer ela com urgência, meu cacete implorava por isso.

Comecei a seduzir a novinha do meu jeito

Eu mandei mensagem pra ela no whatsapp e pedi pra me enviar algumas fotinhas. Ela relutou bastante mas eu insisti e disse que ela poderia confiar em mim, então ela mandou uma foto de sutiã, mas eu queria mais, só que fui com calma e com o tempo fui convencendo ela a mandar mais fotos e um dia tarde da noite minha mulher dormindo eu mandei mensagem pra Sara perguntando se ela já tinha se masturbado.

Ela ficou horrorizada, disse que isso era um pecado e que ela nunca tinha feito isso. Eu fiz um vídeo meu na punheta, enviei pra ela e perguntei se ela gostou. Ela demorou um tempão pra responder mas depois disse que gostou, então eu sem aguentar, pedi pra ela se encontrar comigo e ela acabou topando.

No dia seguinte ela matou aula na faculdade e encontrou comigo no shopping perto de onde morávamos. Eu comecei a conversar com ela e disse que queria ir num motel, mas ela já foi falando que era virgem e isso e aquilo mas consegui convencer ela a ir comigo. Chegando lá ela ficou surpresa com o lugar.

Ela tava tímida, toquei nela e senti seu corpinho arrepiar inteiro, mas mesmo assim ela ainda tava dando uma de tímida, não falava nada. Eu beijei o pescoço dela, toquei na sua cintura e ela soltou um gemido baixinho, aproveitei peguei na sua bunda, apertei de leve e meu pau quase explodia na calça. Perguntei se ela queria que eu parasse, ela disse que não de cabeça baixa então continuei.

Tirei a roupa dela, comecei a beijar seus peitinhos gostosos, ela gemia baixinho de cabeça baixa mas quando toquei na sua bucetinha toda molhada ela não aguentou e gemeu gostoso. Ela pediu pra eu ir com calma porque ela tava nervosa, nunca tinha feito isso e eu fui o mais carinhoso possível. Perguntei se ela já tinha pego numa rola, ela disse que não, então coloquei a mão dela no meu pau e fui guiando uma punhetinha desajeitada.

Pedi pra ela me chupar, ela caiu de boca desajeitada também mas fui pedindo pra ela engolir, segurando sua cabeça e depois de uns minutos de boquete a safada tava craque na mamada, parecia que a safadinha já tinha feito isso antes e tava só me enrolando. Eu percebi que se ficasse assim ia gozar logo, então peguei a magrinha no colo, coloquei na cama abri bem suas perninhas e comecei a chupar sua buceta peludinha.
igreja
Achei um tesão aquele caminho suave de pelinhos claros na sua xaninha, penetrei minha língua e arranquei vários gemidos gostosos dela, uma delícia sentir o gosto daquela safadinha. Eu chupei com vontade, ela se contorcia, gritava, pulava, apertava os lençois e senti que ela tava gostando e tava na hora de fazer a safada sentir meu pau na sua bucetinha.

Fui penetrando ela devagar, quase que ela chora, ela pedia pra eu parar e ficamos um tempão assim pra eu conseguir meter tudo. A buceta dela era muito apertadinha. Eu consegui meter, ela gemeu de dor, fui socando devagar e logo meu pau já estava acomodado naquela bucetinha gostosa. Fiquei ali metendo, arrancando gemidos daquela gatinha tímida, enfiei a língua em sua boca, chupei seus peitos e fodi gostoso, como a bucetinha dela apertava meu pau, era uma sensação única.

Depois de um tempo eu gozei na camisinha e quando tirei tinha um pouquinho de sangue, mas ela ficou de boa, tomamos banho e voltamos pra casa. Depois dessa foda a safadinha ficou viciada no meu pau e depois de um tempo veio atrás pra outra trepada gostosa.

Categorias:

Contos de Virgens

Comments are closed.