Que Rabo Irmã Gostosa

9 votes

Conto Erótico: Que Rabo Gostoso da Irmã Gostosa

Praticamente fiquei cinco anos estudando fora, e, cada vez que vinha em casa eu ficava bobo de ver como minha irmãzinha estava ficando linda e gostosa… Tinha um rabinho empinado maravilhoso, peitinhos pequenos e um par de coxas roliços. Quando eu chegava, Alice vinha me abraçar e me beijar… Como ela normalmente ficava dentro de casa com micro shortinhos que deixava praticamente a metade da sua bunda de fora, muitas vezes fiquei de pau duro e até cheguei a me masturbar no banheiro por causa dela. Terminei a faculdade e já tinha a promessa de um emprego em uma grande firma na cidade próxima de onde meus pais moravam. Como era início de ano e eu só seria fichado na firma um mês e pouco depois, resolvi aproveitar aquele tempo pra me divertir. Meus pais eram muito severo com Alice e não a deixava sair a noite…

Somente de dia pra encontrar com suas amigas, mas mesmo assim com hora marcada pra retornar pra casa. Quando Alice soube que eu ia em um show sertanejo em um estádio de futebol na cidade vizinha, me implorou pra que eu a levasse junto. Lógico que Alice ia atrapalhar meus planos de dar umas zoadas e paqueradas nas gatinhas que provavelmente iam lotar o estádio… Mas fiquei com pena e com autorização de nossos pais a levei. Era a sua primeira vez no meio de uma multidão e acho que com medo de se perder grudou em mim como um carrapato.

Lá pelas tantas, quando o clima estava bem animado fazendo as pessoas dançarem praticamente paradas, só mexendo o corpo e as mãos pra cima, Alice ficou na minha frente e eu tive que ficar atrás protegendo seu corpo já que muitos marmanjos sempre aproveitavam pra dar umas encoxadas nas meninas. Mas o aperto fazia com que Alice ficasse encostando seu bumbum em mim quase o tempo todo. Mexe pra lá e mexe pra cá fui ficando de pau duro com a bunda da Alice roçando no meu corpo. Ao terminar uma música onde todo mundo relaxava pra esperar a próxima,abraçei Alice que apenas virou a rosto pra trás e sussurrou.

– Safadinho você, hein?
Soltei seu corpo e Alice praticamente vindo falar baixinho no meu ouvido.
– Pode me agarrar seu bobo… Estou gostando!
E ela mesma veio colar seu corpo no meu me abrigando a abraçá-la novamente. Começou um novo artista e a animação voltou com Alice se mexendo e rebolando no ritmo da música… Meu pau já fazia um volume enorme da minha calça e não tinha nem como Alice não sentir. Novamente terminou a musica e Alice ficou nos meus braços só roçando sua bunda em mim… Eu tentava aliviar pra trás, mas ela forçava sua bunda também pra trás, até que ela virou e sorrindo me deu um beijo no rosto sem falar nada voltando pra sua posição.

Sabendo que ia ser o último artista a se apresentar, procuramos sair do meio da multidão e rapidamente chegando no estacionamento, entramos no carro (emprestado do meu pai) pra voltarmos pra casa. Liguei o carro e Alice sentada no banco do carona apoiou sua mão na minha coxas (quase em cima do meu pau) pra me dar um beijo e agradecer por tê-la levado ao show. Em casa de madrugada, deixei que ela fosse tomar banho primeiro e fiquei aguardando no meu quarto. Alice entrou enrolada em uma toalha pra me avisar que tinha terminado, e quando eu fui na direção da porta ela me abraçou aproximando seu rosto do meu.

– Você é o melhor irmão do mundo.
Começou a me dar vários beijos no rosto e naquela dela passar seus braços em torno do meu pescoço, a toalha abriu e escorregou… Alice meio que surpresa e ao mesmo tempo sorrindo.
– Iiihhhhh!!!!! Estou pelada!…
Eu calmamente me abaixei, peguei a toalha e lhe entreguei olhando aquele corpo espetacular ali na minha frente… Alice voltando a enrolar a toalha calmamente.
– Ainda bem que você é Meu irmão!…
Até aquele momento nunca tinha passado pela minha cabeça acontecer algo entre eu e ela; apenas sentia um desejo solitário que muitas me deixava excitado. Mas, num impeto descontrolado tomei a iniciativa de voltar a abraça-la.
– Caramba Alice… Você está com um corpo maravilhoso!
– Você acha?
– Deixa ver o seu corpo mais um pouco?
– Hihihiihihi… Vou ficar acanhada!…
Segurei a toalha e fui tirando sem que ela fizesse nada pra impedir. Me afastei olhando principalmente pros seus seios e pra sua xoxota bem depilada, voltei a abraçá-la e levando a mão na sua bunda alisando.
– Que pena que você é Minha irmã.
– Tem problema isso?
– Claro que tem!
– Mas, e se ninguém ficar sabendo?
– O que você está dizendo Alice?
– Eu te amo muito meu irmão!
– Eu também te amo!… Mas somos irmãos!
– Mas mesmo assim eu te desejo!…
– Me deseja como homem?
– É!…
– Mas você deve ser virgem!
– Não sou não!…
– Não acredito!
– Já fiz dezoito Miguel!
– Foi com quem?
– Não importa… Já faz tempo e nunca mais me relacionei com ninguém.
Não aguentando, passei a chave na porta e fui levando Alice até minha cama onde ela deitou pra ficar me olhando tirar minha roupa. Quando ela viu minha pica dura, arregalou os olhos e com uma cara de surpresa.
– Nossa Miguel, é grande!…
Fiz sinal pra ela falar mais baixo, e num desespero pra foder minha irmãzinha fui com meu pau de 22 cm e 6 cm de diâmetro na direção da sua bucetinha. Coloquei na portinha e já fui empurrando sentindo uma certa resistência de uma bucetinha bastante apertada.
– Ai Miguel… Aaaaiiiii…
Fiquei parado com a cabeça enfiada e mais alguns centímetros.
– Não grite Alice… Assim alguém pode ouvir.
– Tááááa´… Mas pode enfiar mais Miguel… Maaaiiiisssss!

Enterrei o resto e comecei um vai e vem bem ritmado tentando me controlar o máximo pra não acabar gozando na minha irmã. Mas por sorte Alice rapidamente começou a gemer e a virar os olhos indicando que estava tendo um orgasmo. Segurei até sentir que ela tinha terminado, pra tirar rapidamente meu pau e esporrar sobre sua barriga. Alice limpou com sua toalha e me dando um beijo na boca pediu-me alguns minutos pra ela voltar ao banheiro pra se lavar novamente. Acordamos tarde, e mesmo com a empregada em casa (nossos pais foram trabalhar) Alice entrou no meu quarto e trancando a porta foi me agarrando e me beijando na boca.

– Sua maluca!…
– Eu quero mais Miguel!…
– Calma… Deixa eu levantar primeiro e sentir como está o clima com a Valdete (a empregada).
Levantei, fui ao banheiro e depois até a cozinha tomar um pouco de café e comer um pedaço de pão. Como Valdete estava preparando o almoço; percebi que poderia ter pelo menos alguns minutos com Alice. Bati no quarto de Alice que após ver que era eu, abriu esperando eu entrar pra trancar a porta. Alice só precisou tirar a camisola pra ficar completamente nua na minha frente e num desespero impressionante puxar meu short pra baixo até fazer meu pau aparecer já bem duro. Me livrei do short e ao deitarmos na sua cama fui direto mamar um pouquinho nos seus peitinhos pequenos e durinhos.

– Não podemos fazer muito barulho Alice!
Ela levando a mão na minha pica.
– Eu sei… Mas enfia ele logo em mim!

Novamente fodi bem gostoso minha irmãzinha que ao ter o seu orgasmo puxou-me e me beijando gemeu muito dentro da minha boca… Nisso quase que perco a concentração e gozo dentro… Ainda bem que deu tempo de tirar. Naquele resto de semana só tivemos tempo pra dar duas trepadinhas rápidas dentro de casa. Tínhamos um pequeno apartamento em Cabo Frio onde meus pais sempre que podiam iam passar o final de semana.

Percebendo que eles não iam naquele final de semana, pedi se podia ir com Alice e prontamente concordaram com meu pai emprestando inclusive o seu carro. Chegamos na sexta-feira à noite e logo que entramos no apartamento já fomos querendo aproveitar o máximo… Peladinhos na cama sabíamos que nada ia nos atrapalhar. Apos alguns minutos de rala e rola, Alice sem mais nem menos começou a examinar meu pau segurando-o e olhando por todos os ângulos.

– O que foi Alice?
– Acho ele lindo Miguel!…
Foi quando fiquei surpreso com ela beijando a ponta e dando uma passada de língua.
– Quer colocar ele na sua boca?
– Não Miguel… Eu nunca fiz isso não!
Tive lá minhas dúvidas, mas percebendo que ela ficou meio balançada.
– Tá com vontade, pode fazer Alice… Isso é normal.
– É? Mas eu não sei!
Muito acanhada voltou a beijar e a lamber a ponta, até que abriu mais a boca e foi engolindo em bom pedaço.
– Isso minha irmã; é assim mesmo… Vai… Chupa!

Se ela nunca tinha feito aprendeu muito rápido… Alice me deu uma senhora mamada que explodi dentro da sua boca, fazendo-a largar e eu continuar a gozar esporrando e lambuzando todo meu saco. Naquela noite, pra satisfazê-la tive que chupar sua buceta (também estava com vontade) e fazê-la se contorcer na cama num orgasmo aos berros que estava gozando. No sábado logo cedo, quando acordei vendo minha irmã que dormiu peladinha comigo, deitada de bruços, passei a olhar com mais atenção pra sua maravilhosa bunda. Acho que ela sentindo o balançar do colchão quando fiquei sentado me aproximando do seu corpo, acordou, continuou deitada de bruços só virando o rosto pro lado que eu estava.

– Oi! Bom dia! Que horas são?
Eu levei a mão na sua bunda e massageando levemente.
– Quase nove horas!
– Vamos Na praia?
Me estiquei na cama pra começar a beijar suas nádegas.
– Vamos, mas primeiro temos que ir até a padaria pra tomarmos um café.
Fui calmamente abrindo suas nádegas pra olhar seu cuzinho… Parecia que também não era virgem. Demos uma trepadinha básica e fomos nos arrumar. Onze horas mais ou menos, tivemos que voltar da praia pro apartamento por causa de uma chuva fininha que começou a cair e parecia que ia permanecer por algumas horas. Tomamos um banho juntos, e eu ensaboando o corpo de Alice comecei a lavar seu cuzinho fazendo carinho com o dedo em torno dele.
– O que você está fazendo?
– Ué… Estou lavando sua bundinha.
Ela sorrindo.
– Ah tá… Tô entendendo!
Acho que Alice desconfiou das minhas reais intenções. Fomos pra cama e a fiz deitar novamente de bruços pra ficar acariciando, beijando e massageando sua bundinha. Ela sentando na cama e segurando meu pau duro.
– Você tá querendo minha bundinha?
– Você deixa?
– Claro… Eu também estou com vontade.
Pensei em perguntar se ela já tinha dado a bunda pra alguém; mas resolvi não deixá-la de saia justa. Alice botou a boca na minha pica pra deixar bastante saliva na cabeça. Foi ficando de quatro empinando a bunda… Também soltei um pouco de saliva sobre seu cuzinho antes de colocar minha pica e começar a forçar.
– Aaaaaiiiiii Jeeeeesuuuuuus… Tá me raaaasgannnnndo!
Era exagero dela, o problema era que seu cuzinho também estava bastante apertadinho… Provavelmente tinha dado pra alguém com pinto bem pequeno. Mas quando tirei do seu cu.
– Nãããããooooo!!!! Não tira… Enfia tudo!

rabo da irmã gostosa

Voltei a enfiar e segurando firme suas ancas fui enterrando até saco sem me importar com seus gritos escandalosos… Provavelmente até os vizinhos estavam ouvindo, e foram mais de cinco minutos bombando até explodir num gozo delicioso. Quando retornamos pra casa no domingo à tarde, eu e Alice estávamos sexualmente apaixonados… Ela já mais solta passou a se comportar como um furacão na cama querendo meter de tudo quando era jeito. Passei a levá-la constantemente em motéis, e, depois de um ano trabalhando aluguei um pequeno apartamento pra mim. Alice foi morar comigo, e, hoje temos o apoio de nosso pais pra vivermos como marido e mulher.

Posts relacionados

Aniversário de Casamento: Festa em família ADS Aniversário de Casamento: Festa em família
No aniversário de casamento, a esposa tem uma bela surpresa para presentear. Ela traz a filha para participar do sexo de comemoração em família...
Conto verídico e curto: Comi minha prima na festa Conto verídico e curto: Comi minha prima na festa
Olá não vou vem identifica e hj vou contar como transei com minha prima. Tudo começou em uma festa que teve aqui na minha...
Dando o cuzinho Dando o cuzinho
Olá meu nome é Clarisse(*), tenho 30 anos, sou morena e baixinha de bumbum grande, seios pequenos e coxas bem grossa. Sou...
Vídeos de Sexo Anal e Porno Grátis ADS Vídeos de Sexo Anal e Porno Grátis
Porno com Mulheres dando o cuzinho no melhor do sexo anal grátis com safadas fudendo muito na pica dos seus machos.
A mãe tarada e o filho nerd ADS A mãe tarada e o filho nerd
A mamãe tarada e o filho nerd, num bom conto erótico em formato de quadrinhos, onde como pode ver, a mamãe não vai liberar a piroca do filho e cair de boca...
A morena de 1.63 A morena de 1.63
Meu nome é L e a pessoa vou chamar S. Conheci uma morena no tinder, linda, 1,63 de altura... Marcamos de nos ver, 3 encontros...
Minha irmã mais velha me seduziu Minha irmã mais velha me seduziu
Conto de Incesto: Minha irmã mais velha me seduziu Minha irmã mais velha me seduziu. Me chamo Gabriel, tenho 22 anos e a um...
Siririca anal escondida na madrugada Siririca anal escondida na madrugada
Olá, meu nome é Vitória, tenho 19 anos, tenho um corpo até bonito: sou morena, com cabelos até a bunda, que é relativamente...
Netinha putinha e vovô do pau grande Netinha putinha e vovô do pau grande
Tenho 22 anos, sou morena, alta e um corpo escultural. Sempre tive costume de visitar meu avô na época do natal, ele é...
Fiz sexo com um pai e filho Fiz sexo com um pai e filho
Anos após minha iniciação sexual gay, em minhas buscas por prazer intenso com outros machos, conheci um homem que perguntou se...
Virei puta de um pauzudo depois da festa Virei puta de um pauzudo depois da festa
Meu nome é Paulino (*) o que vou contar aconteceu realmente. Sou moreno, 1.80m, 89Kg, corpo normal, 18cm. Tudo aconteceu quando...
Dança da Cadeira Dança da Cadeira
Família Favela em: Dança da Cadeira Essa Dança da Cadeira vai ser um mistério que o Seu Benê vai precisar desvendar! Ele...

(0) Comentário(s)

Nenhum comentário

Deixe seu comentário

Sobre
O melhor site de Contos Eróticos da internet brasileira. Um enorme acervo de temas: porno, sexo, incesto, traição, vizinha, emprega e muito mais contos de sexo! Quer contribuir? ENVIE SEU CONTO. Qualquer conteúdo ofensivo, por favor entre em Contato que removeremos imediatamente.

porno - xvideos - hentai - xvídeos - xvideo - porno amador - porno brasil - Acompanhantes BH

© 2014 - 2020 - Contos Eróticos BR: Contos de Sexo, Pornô, Traição, Incesto Todos os direitos reservados.