Conto de Incesto: Comi minha irmã enquanto todo mundo dormia

Comi minha irmã enquanto todo mundo dormia. Me chamo Lucas, tenho 22 anos e tenho uma irmã de 19 que se chama Luciana, ela tem pele clara, cabelos negros até metade das costas, olhos cor de mel, bunda empinadinha e seios médios e durinhos. Minha irmã é a maior gata e aqui no bairro os caras são todos fissurados nela.

O problema é que tenho tesão nela, mas imagina a doideira que poderia dar se ela resolvesse contar para os nossos pais. Por isso sempre fiquei na minha, mas já perdi as contas de quantas veze fui tomar banho cheirando as calcinhas dela e me masturbando ao imaginar ela nua sentada no meu pau.

Nunca vou esquecer o dia que comecei a ficar louco mesmo por ela. Ela foi tomar banho, eu subi na janelinha para espiar e ela tava com espuma do sabonete escorrendo pelo seu rabinho e pela sua bucetinha que até então tinha uma leve camada de pelos. Toquei minha punheta de lei nesse dia e botei na cabeça que se não comesse ela ia endoidar.

O tempo foi passando e meu tesão por ela foi aumentando de um jeito que ela começou a perceber e me deixou nervoso achando que ela contaria para os nossos pais, mas foi muito pelo contrário. A safada começou a me provocar, usar shortinhos cada vez mais curtos pela casa, muitas vezes sem calcinha.

Um dia ela entrou no meu quarto sem bater e me pegou tocando uma punheta. Ela não falou nada, saiu caladinha mas depois disso as provocações aumentaram. Essa safada gostava de me deixar louco. Nesse mesmo dia, de madrugada já, nossos pais já tinham ido dormir e eu estava no meu quarto vendo um filme pornô na TV a cabo.

Eu tava de pau duro no short e logo comecei minha punhetinha, mas ouvi o barulho da porta do quarto da minha irmã, que ficava ao lado do meu, aí por precaução guardei meu pau de volta e desliguei a TV. Meu pau tava latejando mas meu medo dela entrar era grande, então quando vi que tava tudo em silêncio novamente comecei a me masturbar de novo pensando nela.

Para minha surpresa ela entrou devagar no quarto e me pegou com o cacete na mão, mas tudo que ela disse foi:
– Nossa, tá um calor absurdo nessa casa hoje, meu ar não tá gelando direito, posso dormir aqui? – Depois de ter dito isso fiquei sem fala, apenas concordei com a cabeça e ela foi deitando.

Ela tava bem gostosa com uma camisola bem curtinha que mostrava suas pernas grossinhas e marcava seu bumbum avantajado, sem falar nos bicos dos seios que estavam bem acesos. Ela deitou comigo na cama e perguntou cínica o que eu tava fazendo.

Ela me provocou e me deixou de pau duro

Ela perguntou o que eu tava fazendo de bom acordado, disse que tava com insônia mas meu pau meia bomba no lençol me entregava. Logo depois ela se virou de costas para mim, com certeza de propósito, e pude ver a calcinha dela e sua bucetinha espremida nela.

Meu pau logo deu sinal de vida novamente mas não ia adiantar nada porque com ela ali eu não podia bater uma, mas como tesão é uma coisa foda de controlar, não me segurei e fui me aproximando mais dela até encostar meu pau na sua bundinha empinada. Ela não disse uma palavra, não se moveu, só ficou quietinha e deu uma empinadinha leve.

Para mim isso foi o sim que eu queria, mas pra ter certeza perguntei se ela tava dormindo, a resposta dela foi o silêncio, apesar de eu ter certeza que ela tava acordada e só tava sem graça de falar qualquer coisa nessa situação, mas eu continuei ali, com meu pau encostado na bundinha dela, parado por um tempo, com um tesão da porra.

Decidi ser mais ousado, comecei a passar a mão de levinho na bunda dela. Ela não deu nenhum sinal, então continuei, passei a mão, afastei sua calcinha e fui tocando no seu reguinho. Fui descendo a mão até sua bucetinha e percebi que ela tava molhada. Isso me deu um tesão brabo e comecei a passar os dedos nela até enfiar dentro da sua xota quentinha.

Ela soltou um suspiro leve e deu uma mexidinha, depois continuou quieta, então eu comecei a enfiar e tirar meu dedo e ela gemeu baixinho. Aproveitei, baixei o shortinho dela, abri levemente suas pernas e ela continuou fingindo que dormia, mas sua buceta tava ensopada.

Meti a língua de levinho e parei pra dar uma respirada e sentir o seu aroma gostoso que tanto desejei. Comecei a chupar ela levemente e ela começou a se contorcer de leve e gemer baixinho. Se eu tinha alguma dúvida de que ela tava acordada, agora não tinha mais.

Chupei ela por uns 10 minutos mas meu pau tava explodindo de tesão, então abri suas perninhas e dei uma boa olhada na sua buceta, que agora tava toda depiladinha e rosada. Fui encaixando meu pau, tamanho tesão que eu tava e meti de uma vez só. Ela mais uma vez soltou um gemido baixinho mas nem abriu os olhos, continuou parada.

Comecei a comer minha irmã, mas só botei a metade da minha pica. Fui bombando devagar e me deliciando com sua xaninha bastante apertada. Passou uns 3 minutos não aguentava mais meter devagar e fui aumentando o ritmo colocando meu pau cada vez mais fundo.

Quando as metidas ficaram mais fortes ouvi ela dizer:
– Enfia tudo na minha buceta! Não tô aguentando mais, me come seu safado! – Isso me deixou mais louco, meu coração disparou na hora, até me movi pra sair de cima dela mas ela falou que tava gostoso e pediu para eu não parar.

Perguntei se podia mesmo, ela disse que sim e ainda me apressou pra colocar logo, então eu fui abrindo novamente suas pernas e minha vontade era de meter fundo a minha pica e foi o que eu fiz. Soquei com força ela tapava a própria boca para não gemer alto e fui sentindo as mãos dela apertando minhas costas e me arranhando inteiro.

Ela gemia gostoso e falava muita sacanagem, nunca vi a putinha da minha irmã desse jeito. Ela disse que minha língua era gostosa e perguntou se eu queria que ela gozasse na minha boca. Tirei o pau da sua xana molhada e cai de boca pra chupar aquela buceta gostosa com um cheiro delicioso de mulher.
Comi minha irmã
Comecei dando beijinhos leves, lambi as laterais e ela se arrepiou inteira. Eu abri sua buceta com os dedos e comecei a chupar seu grelinho, sugando e lambendo, fazendo movimentos circulares que deixavam ela doidinha de tanto tesão. Não demorou muito e ela começou a ficar ofegante e avisou que ia gozar.

Depois que ela gozou gostoso a sacana disse que ia me recompensar, e foi aí que ela caiu de boca na minha pica de um jeito que nunca imaginei. Foi uma chupada muito gostosa, meu pau latejava na sua boquinha macia e enquanto ela mamava dava um carinho no meu saco, serviço completo que eu recebi da safada.

Não demorou muito eu empurrando a cabeça dela no meu pau e senti que ia gozar, mas nem deu tempo de avisar, já fui gozando na boca dela. Ela ficou de boca aberta para eu ver a quantidade de porra que escorria pelo seu queixo e acabou engolindo tudo como uma boa putinha.

Fiquei na cama namorando minha irmã e depois recebi mais um boquete dela. Foi a melhor experiência da minha vida e depois dessa foda minha maninha virou definitivamente minha mulher, e toda noite vem ao meu quarto dar pra mim.

Categorias:

Incesto

Comments are closed.