Comi a secretária japinha do trabalho

Leitor curtiu a pegada de uma japinha

Eu sou casado, advogado, 32 anos. Minha esposa é gostosa, mas na empresa tem uma japinha que na época tinha entrado recentemente e a mulher é um tesão, parece aquelas atrizes pornô que a gente vê na internet. Sedutora, siliconada, rabuda, um tesão. Todo dia a mulher chega perfumada, com um salto, uma saia longa que marca suas curvas e uma blusa de seda meio abertinha que faz a gente viajar tentando ver seus seios lindos. Parece um fetiche pronto, eu e os outros caras do trabalho babamos por ela desde o primeiro dia, e a mulherada, boa parte ficou morrendo de inveja dessa secretária gostosinha.

Ela trabalhava na salinha que fica ao lado da minha, então ela me servia pra caralho, a mulher é bem eficiente, quebra um galho até hoje e com os dias fomos ficando amigos, ai passaram semanas e a gente começou a criar mais intimidade, eu brincava muito com ela, descobri que ela é solteira, fiquei feliz com isso, nem sei porque, mas a química entre nós dois foi imediata. Depois disso resolvi ser mais atrevido, chamava ela pra almoçar comigo e como ela é estudante de direito, as vezes dava carona pra faculdade e levava ela no fórum pra se familiarizar.
japinha
Depois de um tempo aguentei mais não, ficou difícil, um dia tava estudando um caso chatíssimo até tarde e ela toda atenciosa trouxe café e um lanche pra mim, aí a gostosa me ganhou todo. Nesse dia contei que sentia um tesão doido por ela e nem lembro direito como rolou mas a gente acabou se pegando ali na minha sala. Eu tava doido pra ver aqueles peitos que sempre desejei, tirei a blusa dela, a gente tava numa pegação agressiva, apressada, urgente mesmo de tanto tesão. Meu pau já tava latejando por ela.

Ela abriu minha calça e se ajoelhou, fiquei louco quando senti sua boca no meu caralho. Ela de sutiã branco, os peitões ali quase pulando e a japa deliciosa me chupando inteirinho até as bolas. Ela sabe usar a boca de um jeito gostoso, saiu marcando meu pau todinho com seu batom, mamou com vontade, babou em cima do meu cacete, enfiou todo na boca, me fez bombar até sua garganta, caralho de foda boa, quando me lembro fico até de pica dura.

Eu tava sem aguentar mais, coloquei ela sentadinha na mesa de vidro, abri as pernas dela, mas antes tirei a saia e deixei ela só de calcinha e sutiã. Comecei a beijar seu corpo gostoso, seu pescoço cheiroso, tirei o resto do que ela vestia e mamei nos seus peitos, lambi os biquinhos que já estavam durinhos e abocanhei aqueles peitões gostosos, chupando um e fazendo carinho no outro. Ela ficou com os pelinhos arrepiados, gemeu gostosinho, fechava os olhos, pendia a cabeça pra trás, ela tava tão excitada quanto eu.
japinha
Fui descendo, beijei sua barriguinha lisinha linda, desci para suas coxas e ela automaticamente abriu as pernas pra mim, e eu pude aspirar o cheiro bom que vinha da sua bucetinha lubrificada. A calcinha tava toda molhadinha, quando tirei, ela suspirou e pediu pra eu meter a língua. Isso fez meu coração disparar de tesão, fui provocando beijando sua barriga, a lateral de suas coxas e ela empurrando minha cabeça pra o lugar certinho, bem no seu grelinho duro.

Passei a língua de leve, senti ela gemer e se contorcer inteira, a buceta dela é uma delícia, um gostinho delicioso que nunca senti. Não tinha quase nenhum pelo, o grelinho gostoso demais, lambi, suguei todinho, fiz vários movimentos com a língua, queria ela cada vez mais molhada, coma bucetinha escorregando de tão excitada. Eu fiquei com a língua dormente de tanto chupar ela, demorou uns minutos e fiz ela gozar gostoso na minha boca.

Ela ficou com a respiração forte, cansada, olhou pra mim e disse que a buceta dela ainda tava latejando, que ia gozar de novo. Caralho, achei bem gostoso e já fui metendo a cabeça da pica na buceta dela. Ela abriu bem as pernas e soquei meu pau até o talo, iniciei um vai e vem gostoso enquanto chupava os peitos dela e a puta me arranhou todo nas costas, na hora ainda pensei que se minha esposa visse isso ia dar merda, mas eu ia dar um jeito dela não ver. Continuei fudendo a gostosa, ela gemia gostoso, aquele gemidinho de putinha de filme pornô.
japinha
Eu soquei gostoso naquela entradinha quente e molhadinha, ela abriu mais ainda e facilitou o negócio, nunca tinha comido uma buceta tão apertada como a dela, o prazer que eu senti foi imenso. Botei a puta de quatro, chupei aquele rabão todinho, mordi, bati, deixei com a marca da minha mão, abri as bandinhas e dei uma boa chupada no seu cuzinho e vi ela piscar ele cada vez que eu passava a língua no seu buraquinho. Ela rebolou gostoso na minha língua, gemeu e eu introduzi um dedo no seu cuzinho. Ela soltou um gemido alto e disse que adorava dar o cuzinho bem gostoso.

Comecei a encaixar e fiz um anal delicioso com a morena, puxando aquele cabelão dela, sentindo ela rebolar, gemer e apertar meu pau com seu cu apertado. Perdi até a noção do tempo comendo a safada, eu tava perto de gozar e disse pra ela. Ela disse que ia gozar de novo e pediu pra eu aguentar mais um pouquinho. Segurei a onda e quando ela gozou, meti sem dó, soquei o pau até meu saco fazer barulho batendo nela e gozei todo meu leite grosso e branquinho dentro daquele cu gostoso dessa safada oriental. Foi uma delícia de trepada, ficou difícil não querer de novo, só de ver essa mulher, minha pica começa a latejar.

Posts relacionados

Encontrei minha aluna safada no Tinder Encontrei minha aluna safada no Tinder
Conto Heterossexual: Encontrei minha aluna safada no Tinder Encontrei minha aluna safada no Tinder. Eu me chamo Paulo, sou professor universitário e tenho 45 anos. Sou casado mas sempre...
Leia completo
Minha irmã adotiva é uma putinha Minha irmã adotiva é uma putinha
Conto de Incesto: Minha irmã adotiva é uma putinha Minha irmã adotiva é uma putinha. Me chamo Gustavo, tenho 21 anos e tenho uma irmã de 18 que é adotiva e recentemente rolou algo...
Leia completo
Dei minha buceta para o atendente da lanchonete Dei minha buceta para o atendente da lanchonete
Conto Heterossexual: Dei minha buceta para o atendente da lanchonete Dei minha buceta para o atendente da lanchonete. Me chamo Adriele, tenho 19 anos, sou loirinha, tenho 1,60 de...
Leia completo
Minha primeira experiência lésbica com uma prima Minha primeira experiência lésbica com uma prima
Conto de Lésbicas: Minha primeira experiência lésbica com uma prima Minha primeira experiência lésbica com uma prima. Eu me chamo Eliana, tenho 20 anos e com 18 tive minha primeira...
Leia completo
Sobre
O melhor site de Contos Eróticos da internet. Um enorme acervo com diversos temas: porno, sexo, incesto, traição, vizinha, emprega e muito mais! Caso tenha alguma contribuição, nos envie seu conto através do nosso link ENVIE SEU CONTO. Diversos contos de nosso site são retirados de outros sites. Qualquer conteúdo ofensivo, por favor entre em contato que removeremos imediatamente.
Contos Eróticos BR© 2015 / 2019 - Contos Eróticos BR Todos os direitos reservados.