ph4cto56820

Tirando a virgindade da irmãzinha

Oi eu de novo! Como havia contado no conto anterior em que minha irmãzinha “inocente” bateu uma punheta em mim esfregando a buceta no qual eu tive um dos mais intenso gozo. Agora como prometido vou contar como eu tirei o cabaço dela. Nos dias em que minha mãe ia dormir cedo, ela passava pelo quarto de mamãe e olhava para ver se ela estava dormindo e fechava a porta bem devagar e ia para o meu quarto. Vários dias ela batia punheta pra mim dizendo que estava me ajudando porque eu não podia com a mão enfaixada. Ela não sabia que a mamãe batia uma pra mim pela manha cedo e que a empregada “crente” batia outra pela manhã quando ela e mamãe sai. Minha irmãzinha ia no meu quarto entrava com uma cara de sapeca já mordendo os lábios e com os olhos arregalados. Eu já ficava esperando ela entrar e quando eu percebia o movimento dela pra lá e pra cá passando pela porta do meu quarto e me olhando, eu já sabia que era pra vir bater uma pra mim, por mais que eu tentasse me concentrar no filme que assistia, não tinha jeito, o pau dava logo sinal de vida e armava uma barraca com o short folgado que eu vestia. E quando ela via o barraco armado, entrava e já pegava nele com as duas mãos pequenas e começava uma punheta desrritimada e sem jeito. Ela não falava uma palavra, batia cansava, parava, continuava de novo, mudava de posição, sentava em minhas pernas de frete pra mim e encostava a bucetinha dela em meus culhões e ficava batendo e esfregando a buceta em meus culhões. Ela fazia tudo isso com o maior medo e ficava olhando para a porta direto, acho que com medo de mamãe entrar e pegar a gente no flagra. As punhetas que ela batia geralmente não passava de 4 minutos e eu já esporrava e ela me limpava todo com a toalha e ia embora. Tinha dias que eu sentia em minhas pernas o gozo dela escorrendo da buceta enquanto batia uma pra mim. Mas eu fiquei pensando… coitadinha da minha irmãzinha me satisfaz quase todos os dias e ela sai sem gozar. Eu não posso tocar nela, ela é pequenininha e cabacinho eu não tenho como satisfazer ela. Ela fica muito amedrontada e sai rápido.
Um dia de sexta-feira em que minha mãe chega mais tarde porque sai com as amigas para tomar umas cervejas e chega em casa meio grogue eu pensei: vou dar um jeito de satisfazer a maninha. Sabendo eu que quando minha mãe chega choopada só faz tomar banho a buf! Na cama e apaga…eu combinei com a maninha de que assim que mamãe apagar ela poderia vir que eu ia trancar a porta do meu quarto e ia fazer uma surpresa pra ela. Quando eu disse isso, ela pulava de alegria e corria de um lado pro outro e me perguntava qual era a surpresa. Eu disse surpresa só na hora. Quando mamãe chegou, ela saiu do quarto dela correndo e foi ajudar mamãe a tomar banho e arrumou a cama dela, tudo isso pra adiantar o lado na esperança da surpresa. Ela queria que mamãe apagasse o mais rápido possível pra vir logo. Quando mamãe apagou, ele veio pro meu quarto como sempre mordendo os lábios, e trancou a porta. Como vocês já sabem… a barraca já estava armada latejando em baixo do calção, e me perguntou: qual é a surpresa? Eu disse a ela: Tira o short e vem pra cama. Quando ela abaixou o short e ficou de calcinha, pude ver a rodela molhada de gozo na calcinha dela. Ela já estava toda melada de tanta excitação por conta da expectativa. Eu não podia dedilha-la, pois meus dedos estavam enfaixados. Mandei que ela deitasse na cama de barriga pra cima do meu lado e colocasse uma perna por cima de mim, eu me virei de lado pra ela e pedi a ela pra pegar em meu cassete e direcionar na bucetinha dela, ela começou a gemer e enfregar a cabeça do pau roxa na bucetinha dela, e a rebolar, passava no pinguelinho, passava nos pequenos lábios sem pelos todo lambuzado com o gozo dela, ela então começou a forçar o corpo dela para baixo segurando o pau na direção do buraquinho dela. Eu sentia uma resistência que parecia que não havia buraco, ela se contorcia pra cima e pra baixo, pro lado e pro outro e nada do pau entrar. Ela então começou a reclamar comigo com raiva – vai mano enfia porra!, vai mete logo que eu não aguento mais, me come porra! Eu disse a ela que não dava pra entra de jeito nenhum. Eu já estava que não aguentava mais de prender a ejaculação e ela ficava falando: mete porra!!! Me lasca vai maninho!!! Vai logo!!! Faça como nos filme, mete tudo!!! E o pau latejando roçando na entradinha da gruta dela toda visguenta. Com o manuseio dela querendo meter eu não aguentei e dei uma gozada descomunal como da vez em que ela sentou em minha pica sem entrar. Mas foi tanto esperma que melou a barriga dela toda, a bunda, as pernas, a cama e ela gemendo sem parar forçando mais ainda para baixo até que sem mais nem menos com a ajuda do esperma que saiu, senti a cabeça do pau entra na bucetinha dela. Quando passou ela deu um grito de ai que acho que a mamãe acordou ou os vizinhos ouviram. Ela então ficou por uns instantes imóvel, só movendo o peito e a barriga por causa da respiração ofegante. Eu olhava pro rostinho dela e ela estava com os olhos arregalados e de boca aberta respirando fundo como uma mulher faz quando está parindo. Então ela começou a se mover lentamente tentando penetrar mais porque o tempo que ela parou o pau amoleceu um pouco e facilitou a entrada de mais um pouquinho, eu senti uma quentura dentro da buceta dela fora do normal, mesmo assim comecei pela primeira vez um vai e vem e cada vez que eu ia ela subia, quando eu voltava ela abaixava, numa dessa eu fiz ao contrario e quando ela foi abaixar eu subi e o pau entrou uns 3 dedos rasgando a bucetinha da maninha mais ainda, ela já gritava, mas não de dor e sim de prazer, pois pude sentir algo tocando a ponta do meu pau dentro dela e ficamos mengando com o pau dentro e o pau começou a endurecer mais ainda e a latejar lá dentro e ela gemendo e suando e bufando, arfando, feito loca e eu mengando curto até que ela não aguentou e gemeu de gozo como uma mulher profissional , ela dizia: aaaaaaaiiiiii maniiiiiiihhhhhooooo!!! Estou gozaaaaaandoooooo!!! Aaaaaiiiiiii como que chorando e desfaleceu, ela desmaiou de gozo. Eu fiquei parado olhando para ela e ela respirando de boca aberta. Fui tirando o pau aos pouquinho para ela não sentir dor, quando a cabeçorra estava pra sair, sentiu reagir e faz humm.!!!! de satisfação varias vezes, quando escapuliu, senti uma enxurrada de esperma junto com sangue melar a cama toda. Ela foi virar de lado para colocar o pé no chão e caiu e ficou no chão tentando se recompor. Foi ai que eu pude ver o estrago, ela estava toda melada de sangue e a cama também. Ela apagou no sono por uns instantes e quando vi que ela estava mais calma a chamei e ela fez a faxina no quarto. Demorou mais limpando a cama e o colchão do que nós fudendo. Ela lavou tudo e pude perceber nas andadas dela da cama para a suíte o andar dela diferente e alertei a ela que a mamãe poderia desconfiar se ela continuasse andando assim no sábado. Ela disse que daria um jeito de ficar no quarto dela o dia todo estudando sem sair da cama. Foi o que ela fez. Depois disso as nossas fodas foram mais limpas e gostosas. Se gostarem, comente e votem que eu vou contar o que aconteceu outra vez com a empregada e a mamãe.

ph3cto56820

Leave a Reply

Your email address will not be published.