Conto de Fetiche: Comi a supervisora gostosa da empresa

Olá, hoje vou contar um relato que aconteceu quando eu tinha por volta de 19 anos de idade e trabalhava em uma empresa na área de limpeza,hoje tenho 29 anos mas ainda lembro do que rolou e me pego tocando punheta as vezes de tanto tesão que me dá essa recordação.

Quando entrei nessa empresa que presta serviço a outras companhias e fábricas eu precisava muito da grana pra ajudar no sustento da minha família e depois de 5 meses eu acabei ganhando um bônus que rolava lá dentro, o de melhor funcionário do mês e meu chefe pediu para que eu fosse na sala da supervisora, que era quem mandava em tudo por ali depois do meu patrão. Chegando na sala dela eu tomei meio que um choque, a mulher era muito gata e se chamava Gabriela, uma morena alta, não lembro exatamente o tamanho dela, um corpo magro com peitos pequenos e bem durinhos, uma bunda arrebitada e umas coxas bem gostosas que eu tive que olhar bem disfarçadamente para ela não perceber.

Gabriela foi me dando parabéns pelo prêmio e ganhei um valor que não era grande, mas que ia ser de grande ajuda naquele momento. Saí de lá da sala dela pensando naquela mulher, confesso que minha mente poluída me fez imaginar ela nua, como seria a boceta dela, aqueles peitos que deviam ter os bicos bem rosadinhos e pensei até em como deveria ser gostoso o gemido daquela mulher. Eu estava em uma paixão platônica por ela e toda vez que ela chegava lá na empresa, eu e os caras ficávamos babando de tesão, mas na cabeça de todos nós, sabíamos que essa não era mulher pra gente, no mínimo ela devia ser namorada de algum playboy rico.

Continuei fazendo meu trabalho numa boa nos próximos dois meses, minha relação com a supervisora era puramente profissional, nós falávamos, ela me chamava na sala dela para pedir alguma coisa e só! e eu sempre me masturbando, inclusive no banheiro da empresa, pensando naquela gostosa.

Um dia, como que por um acaso do destino, um encarregado me entregou uma caixa fechada e pediu que eu levasse até a sala dela, eu fui com o coração batendo forte e meu pau quase dando sinal de vida. Chegando na sala dela eu bati mas não obtive respostas, então eu imaginei que não teria ninguém lá e entrei pra deixar a caixa na mesa dela, mas para minha surpresa assim que entrei eu a vi com os olhos vermelhos, lágrimas escorrendo pelo rosto e ao mesmo tempo em que senti tesão por aquela fragilidade toda, eu queria dar um abraço e consolar aquela mulher.

Fui cara de pau e perguntei se ela precisava de algo, ela respondeu que não, mas vendo ela bem nervosa peguei um copo de água com açúcar, dei pra ela e notei um olhar diferente em minha direção e logo em seguida ela me agradeceu e começou a falar que estava com problemas no casamento. Eu fiquei meio mal, nem sabia que ela era casada já que não usava aliança, mas ela continuou falando como o marido tratava ela mal, que ele tinha uma amante e antes de eu entrar ela recebeu uma ligação da amante do marido falando um monte de merda pra ela.

Fiquei com ódio, como um cara tem uma gostosa dessas em casa e faz isso? Assim que se recompôs ela pediu que eu não comentasse com ninguém, disse que não sabe porque me contou aquilo tudo mas que por alguma razão sentia que eu era um bom garoto. Fui embora da sala dela até feliz com o progresso que tínhamos feito.

No dia seguinte assim que cheguei, o encarregado disse que a Gabriela tava me chamando na sala dela. Fui lá e ela já foi se desculpando pelo descontrole, pelo choro e tal, eu disse que estava tudo bem e que podia confiar em mim e pra minha surpresa ela perguntou se eu tinha interesse em trabalhar no setor dela, fazendo os balanços no final do mês dentre outras tarefas. Ela disse que se eu quisesse me treinariam e o salário seria um pouco melhor. Fiquei bem feliz, topei e mais feliz ainda de ver aquela gata todos os dias.

Será que finalmente eu ia conseguir?

O trabalho tava indo muito bem, passaram-se mais ou menos uns 2 meses no novo cargo, eu tendo contato direto com ela, até que um noite nós dois ficamos até tarde, ela pediu comida e começamos a revisar uns balanços da empresa.

Nessa altura já tinha 1 ano que eu trabalhava lá. A minha chefe começou a conversar comigo sobre a vida dela, os problemas que continuavam e de repente chorou, me deu uma vontade de abraçar aquela mulher e eu fiz isso. Nossos corpos ficaram bem colados, senti ela me apertar com força e meu pau deu sinal de vida na hora, me deixando preocupado se ela iria me demitir depois disso, mas para minha surpresa ela me tascou um beijo gostoso, demorado e bem molhado. Parecia que aquela mulher não sentia o corpo de um homem a muito tempo, então eu retribui e como já estava latejando de tesão, eu passei a mão pela bunda dela que não era grande mas era muito durinha e gostosa, ouvi ela soltar um gemido meio tímido no meu ouvido mas minha chefe não reclamou de nada então continuei.

Toquei as coxas dela e fui levantando sua saia, ela pegou minha mão para eu parar e dizia que não mas eu continuei forçando e ela acabou cedendo.

Não resisti a essa mulher gostosa

Levantei a saia até a cintura e tive a visão maravilhosa da calcinha branca de renda que ela tava usando e que estava quase transparente de tão molhadinha que ela estava, então eu afastei a peça e comecei a passar os dedos naquela boceta, que tava encharcada de tesão e o grelo bem durinho.

Passei o dedo em movimentos circulares e vi a gostosa da Gabriela gemer, se contorcer, agora sem frescura nenhuma, sem pudores. Continuei, ouvi ela gemer cada vez mais alto e eu já estava sem aguentar, então ela parou, abriu meu ziper, colocou minha pica pra fora, caiu de boca e não tenho como descrever a sensação de ter aquela mulher tão desejada chupando meu cacete. Ela mamou com pressa, parecia que não via uma rola a muito tempo, então depois de tanto ela chupar a cabeça, o saco, não aguentei e gozei gostoso nos peitos dela. Esperamos um tempo ali nos beijando gostoso e então coloquei ela deitada em cima da sua mesa, abri bem as pernas dela e chupei gostoso aquela boceta, que tinha um cheiro maravilhoso e o gosto melhor ainda. Ela puxava meu cabelo, me arranhava, abafava o gemido com as mãos e ficava querendo mais, sempre pedindo pra eu não parar e dizendo que eu chupava muito gostoso, que eu enfiasse a língua na boceta dela, rebolando na minha boca e se contorcendo toda.

Não demorou muito, senti ela me apertar, se contorcer mais e ela disse que ia gozar e gozou bem gostoso, sorrindo e respirando bem ofegante depois daquele momento de puro prazer. Continuamos os beijos, mas eu queria mais, queria sentir meu pau entrando naquela boceta, então sentei na cadeira dela, puxei a Gabriela pra cima de mim, e fui encaixando meu pau na boceta dela, não deu trabalho pra entrar porque ela tava muito molhada mesmo, então começamos um vai e vem gostoso, ela subia, descia, rebolava me olhando com cara de safada, mordia minha orelha e eu beijava aquele pescoço com cheiro de perfume importado que minha chefe usava.

gostosa da empresa

Ela mordia a mão pra abafar o gemido e ficamos daquele jeito gostoso até que ela resolveu mudar de posição, ficar de quatro e eu fiquei louco vendo aquele cu apertadinho e a visão perfeita daquela boceta toda raspadinha dela, com um grelinho gostoso e saliente pronto pra ser chupado sempre! Enfie o pau nela de quatro, ela rebolava aquele rabo gostoso na minha pica, me chamava de safado e naquele momento louco de tesão ela dizia que nunca tinha fodido tão gostoso na vida, que minha pica era uma delícia, e eu entrando na brincadeira disse que agora ela era minha putinha e ouvi ela gemer mais alto a cada sacanagem que eu falava e não demorou pra gente gozar gostoso de novo, foi uma gozada forte e bem gostosa, mas dessa vez eu tava de camisinha e não ia ter o prazer de gozar em cima dela de novo, mas mesmo assim foi uma delícia, a melhor foda da minha vida!

A gente se recompôs, e como já estava mais do que na hora de ir embora, ela me ofereceu uma carona pra casa, me deixou lá, mas antes me deu um beijo bem gostoso, dizendo que nunca ia esquecer aquela transa da gente, daí eu saí do carro, entrei em casa e quando fui dormir acordei com tesão no meio da noite, sentindo aquela sensação gostosa ainda e louco pra repetir, mas infelizmente no dia seguinte ela me chamou para uma conversa, disse que não podia separar do marido e bla bla bla, mas que tudo que rolou entre a gente foi perfeito, aquele papo de mulher se sentindo culpada sabe? Eu ainda continuei trabalhando na empresa mais 1 ano, até que passei num concurso e me mudei de estado, mas durante esse tempo eu e minha supervisora ainda transamos umas 5 vezes.

Até hoje sinto falta dessas fodas e me pergunto onde está a melhor chefe que já tive, a Gabriela!

Categorias:

Fetiche

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*