Contos de Sexo Gay: Acabei dando o cu para o meu amigo

Olá pessoal, meu nome é Carlos, sou casado e sou bi passivo. A história que vou contar aconteceu comigo, minha mulher uma loira bonita, pernas grossas, uma bunda carnuda, saliente, muito gostosa, nos damos muito bem na cama, ela adora sexo anal e é muito insaciável. Meu pau é pequeno, são só 14 centímetros, não muito grosso, e tenho tesão por outros homens, sou bem enrustido, discreto, sou gostoso uma bunda carnuda, lisinha, pernas grossas, bem gostoso.

Eu tenho um amigo de Juventude, que tenho um tesão enorme nele, jogamos bola juntos, e ele tem uma rola enorme, muito grossa, mas nunca comentei nada com ele com medo dele comentar com alguém, e ainda sabendo que foi um dos namorados da minha mulher mais isso lá na juventude, namoro só de amassos, nada de sexo. Eu fui o seu primeiro sexualmente falando e quando estamos bebendo ele sempre puxa conversa sobre ela, dizendo que ela esta muito gostosa. Eu então já alcoolizado completo dizendo que ela é completinha e faz de tudo, ele fica doidinho pensando naquela bunda, nossa!

Eu trabalho com eletricidade, um dia ele pediu para eu instalar um ventilador de teto no apartamento dele, ele mora sozinho, está separado. Eu fui, tava um calor eu fiquei só de shorts, um shortinho apertadinho e ele ficou me sarrando, dizendo que minha bunda também é gostosa, que ele nunca havia olhado com outros olhos, mas pensando na bunda da Célia, minha mulher, a minha também não é de se desprezar. Nós começamos a beber, terminei o serviço, ficamos bebendo e novamente ele puxou assunto da minha mulher, e na brincadeira ele tirou a sua bermuda e mostrando a rola dura disse: Está vendo como eu fico só em pensar numa bunda, principalmente na da Célia, e disse que esfregou muito sua rola nela, e sem eu esperar pegou minha mão e colocou na rola dele, me deixando sem ação! Ele disse: vai bater uma punheta para mim e eu fiquei batendo, ele foi além, mandou eu chupar e nossa! eu já estava quase metendo a boca, mais depois que ele falou acabei me entregando, comecei a chupar, nossa um tesão reprimido a muitos anos, ele dizia que sabia que eu gostava e mandou eu tirar o shorts. Ficamos pelados ali mesmo na sala, ele que me colocou de quatro no sofá e comeu o meu cu, nossa como doeu, mas eu queria, já a muitos anos, agora não tem volta e ele fodeu muito o meu cu, depois disso tivemos mais uma ou duas vezes, e nessas vezes ele comentava sobre meter com a Célia, aquilo ficou na minha cabeça.

Comentei com minha mulher sobre o pau enorme do meu amigo

Um dia em casa já na cama com minha mulher, eu comentei que havia encontrado o Aderbal e que ele falou dela, do tempo que namoram, e ela perguntou o que ele falou, eu disse que ele contou que esfregou muito a rola nela, e completei dizendo que ele tem uma rola grande e muito grossa. Ela respondeu nem lembro e perguntou se é mesmo grande. Eu disse grande e muito grossa, eu sei que nesta conversa começamos a transar e ela perguntando da rola dele, eu então disse: Sua putinha vai quer foder com ele né? relembrar o passado, ele vai te arrombar todinha.

Ela no auge do tesão dizia: amor tu vai deixar ele me arrombar vai? Eu disse a ela que ele era tarado pelo seu cuzinho e ela suspirou e disse nossa amor deixa ele arrombar o meu cu deixa, eu perguntei tu vai querer mesmo? ela respondeu que sim e assim gozamos e depois dormimos.

No dia seguinte no horário do almoço ela puxou conversa sobre o assunto isso era quinta feira, perguntando amor aquela conversa de ontem e seria mesmo, tu vai deixar eu meter com o Aderbal, eu então disse tu queres mesmo, vai ter coragem, ela disse eu tenho,, nas sextas feiras a gente se reuni num barzinho para tomar umas cervejas, eu disse a ela faz o seguinte amanha como se fosse por um acaso, lá pelas 20 horas você vai ate lá, neste horário a maioria já foram embora ai a gente vê o que pode rolar.

Ela colocou um vestidinho a cima do joelhos bem soltinho, uma calcinha fio dental, nossa estava uma delicia, nos já tínhamos bebidos algumas, e ele já comentando sobre ela, de repente ela aparece, ele disse que ela esta uma delicia, veio cumprimentou sentou-se na mesa e começou a beber, ela adora batidas, tomou umas duas e já estava soltinha, o Aderbal foi no banheiro, ela perguntou: então vai rolar? eu disse: calma! vamos ver! Quando o Aderbal voltou ele sentindo algum clima disse: Vocês não querem ir ate a minha casa, eu então disse podemos ir, pelo menos a Célia conhece o teu cafofo.

dando o cu

Fomos no caminho ele perguntou baixinho se podia chegar junto, eu disse pode, fica a vontade só que isso tem que ser sigiloso, discreto, então entramos no Apartamento. ele no serviu umas bebidas e foi tomar banho, saiu do banheiro só de toalha, e já de rola dura, perguntei se minha mulher, já estava vendo o volume e puxei a toalha. Falei para ela chupar esta rola gostosa, e ela me chamou também, achou ela gostosa, e meteu a rola na boca. Eu não esperava mas ela me disse: vai amor chupa também! eu aproveitei e chupei um pouco junto com ela, e fui tirando a roupa dela, deixei ela peladinha, eles foram para o quarto, eu não quis atrapalhar deixei os dois sozinhos, só fui observar quando escutei os gemidos dela e ela pedindo pra ir devagar que estava doendo, nossa é muito grossa, eu não estou acostumada… Só sei que em pouco tempo ela já se acostumou, ele estava com a rola todinha lá dentro e bombava forte, meteram de todas as formas, ela cavalgou, meteu de quatro, frango assado, até que ele gozou, gozou dentro e sem camisinha, nossa eu não aguentei chupei a boceta dela melada da porra dele, ela se lavou, ele também, fomos beber mais um pouco, o Aderbal começou a abraça-la por trás já com a rola dura, dizendo quero meter neste cu, ela disse: eu não vou aguentar, sua rola é muito grossa, eu disse que ela disse que iria deixar, que iria aguentar, e na conversa foi para a cama tentar, passou creme, lubrificante meio anestésico, foi difícil, ela chorou, esperneou, mais entrou todinha, ele tirava e colocava até o saco, nossa! ela deitada com a bunda para cima ele de joelhos sobre suas pernas e ainda abria bem as nádegas para entrar tudo mesmo, nossa ela uivava, gritava, chamava ele de filho da puta,pedia pra aproveitar o tempo perdido, pra arrombar ela todinha, aproveita que o corno gosta de ver, mete mesmo, nossa aquilo me dava um tesão eu gozei umas três vezes, foi maravilhoso.

Fomos embora ela não aguentava mais, no caminho eu perguntei como foi, ela disse que foi maravilhoso, que adorou e queria ser amante dele, meter com ele sempre, e perguntou se eu deixaria. Apesar de ficar toda dolorida, eu respondi sim, já deixei né? agora não tem volta. Ela disse: também você gosta de chupar uma rola, e tomou todo o leitinho dele chupando a minha boceta. Eu disse que gosto sim, e confessei que eu gosto de uma rola na bunda também. Ela disse que tudo bem, acabei abrindo com ela que ele já meteu na minha bunda e que eu adoro, e assim ficamos amantes os três, sempre estamos juntos e em uma outra oportunidade conto outras passagens.

Espero que tenham curtido.

Categorias:

Gay

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

1 Comentário